Colaboradores

Tecnologia do Blogger.

Siga-nos por Email

Seguidores

Arquivo do blog

Pesquisar neste blog

sexta-feira, 3 de outubro de 2014

Caprinocultura transforma vida de moradores do sertão nordestino

Projeto que distribui cabras para agricultores da região de Sobral (CE) já atendeu 700 famílias e atuou no acompanhamento nutricional de mais de mil crianças


O Projeto “Cabra nossa de cada dia” já atendeu mais de 700 famílias por meio da distribuição de 4,5 mil cabras para agricultores da região de Sobral (CE), município que fica a cerca de 230 quilômetros de Fortaleza. O projeto surgiu em 1993 com o objetivo de combater a pobreza, a miséria e a mortalidade infantil na região.

A criação de cabras foi escolhida como solução porque é um animal dócil, de fácil manejo e que se adapta bem às condições climáticas no sertão nordestino, como explica Jorge Luís de Paula, atual responsável pelo projeto. Com o tempo, a iniciativa incorporou outras ações como agricultura familiar e piscicultura, além do desenvolvimento do cooperativismo, com a finalidade de estimular as comunidades para o empreendedorismo em busca da inclusão social.

Em 2013, o “Cabra nossa de cada dia” recebeu o certificado de Tecnologia Social (TS) pela Fundação Banco do Brasil. Além da distribuição dos caprinos, o projeto realizou acompanhamento nutricional e de saúde preventina para mais de mil crianças de até 10 anos, o que, de acordo com Jorge de Paula, contribuiu para acabar com a mortalidade infantil na cidade.

O casal de trabalhadores rurais Antônio Alves Cavalcante e Maria de Jesus, moradores do Sítio São Francisco, distrito de Jordão, no município de Sobral, participam do projeto desde o início. Hoje, são os responsáveis pelo cadastramento das famílias. Maria conta que a doação das cabras além de ajudar na alimentação, também une as comunidades, porque trabalha com o sistema de repasse. “A família carente recebe do projeto a cabra prenha ou parida e se compromete a assumir os cuidados pela criação do animal. Num período de dois a três anos, compromete-se a devolver para o projeto duas cabritas filhotes para que outras famílias sejam beneficiadas”, explica.

Após mais de 20 anos de existência, o projeto se tornou referência, influenciando outros semelhantes no Piauí, Maranhão, Sergipe, Bahia e Paraná, com estímulo de consumo de leite de cabra nas comunidades.

Fonte: EcoDebate

0 comentários:

Postar um comentário

Eco & Ação

Postagens populares

Parceiros