Colaboradores

Tecnologia do Blogger.

Siga-nos por Email

Seguidores

Arquivo do blog

Pesquisar neste blog

quinta-feira, 25 de abril de 2013

Ritmo de consumo na Ásia pode se tornar insustentável, diz ONU

A região da Ásia e Pacífico ultrapassou o resto do mundo no consumo de matérias-primas e irá continuar líder no setor, indica um relatório lançado nesta quarta-feira (24) pelo Programa da ONU para o Meio Ambiente, Pnuma. Mas de acordo com a agência, o ritmo atual pode se tornar insustentável para o continente.


O balanço do comércio na região mostra que o índice atual de exploração de recursos já não é suficiente para o ritmo de crescimento da economia e mudanças no estilo de vida da população.

Combustíveis Fósseis – Entre 1970 e 2008, o consumo de minerais para construção, como areia, barro e granito, aumentou 13,4 vezes na Ásia e Pacífico. No mesmo período, o consumo de metais foi 8,6 vezes maior; o de combustíveis fósseis, 5,4 vezes e o da biomassa cresceu 2,7 vezes.

O consumo doméstico de materiais aumentou de 6,2 bilhões de toneladas para 37,5 bilhões de toneladas nos últimos 40 anos. Em 2008, a China foi responsável por 60% desse consumo regional e a Índia, por 14%.

O Pnuma destaca que o volume atual de consumo já está tendo um impacto negativo no meio ambiente. Segundo o relatório a intensidade de matérias-primas para a região é igual a três vezes o total do consumo do resto do mundo.

Industrialização – Por conta da forte demanda doméstica, a China é tida como o principal importador de matéria-prima, em particular do petróleo. O relatório afirma que países populosos como China e Índia estão saindo da economia agrária em transição para a economia industrializada.

A Ásia e Pacífico também está deixando de ser uma economia baseada em biomassas para ter como base os minérios. O aumento da população é tido como o fator menos importante para o crescimento das extrações ambientais.

A Austrália é cada vez mais um país fornecedor de materiais de energia para a região. A Indonésia é tida como grande exportador de matérias-primas, em particular de combustíveis fósseis. O documento do Pnuma traz também dados do Japão, Malásia, Paquistão e outros países.

A agência recomenda o estabelecimento de uma base de dados global com informações de todos as nações sobre o uso de matérias-primas e vigilância dos governos asiáticos em relação às políticas para o setor.

Fonte: Rádio ONU

0 comentários:

Postar um comentário

Eco & Ação

Postagens populares

Parceiros