Colaboradores

Tecnologia do Blogger.

Siga-nos por Email

Seguidores

Arquivo do blog

Pesquisar neste blog

sábado, 4 de janeiro de 2014

Após Réveillon, Comlurb recolhe montanha de lixo em Copacabana, no Rio

Depois da festa de Réveillon que concentrou 2,3 milhões de pessoas em Copacabana, na Zona Sul do Rio, o trabalho para deixar a areia limpa foi árduo. Segundo a Comlurb, 368,2 toneladas de lixo foram recolhidas da Praia de Copacabana nesta quarta-feira (1°).


De acordo com a prefeitura, ano passado foram recolhidas 403 toneladas de resíduos, 10% a mais que esse ano. A Comlurb acredita que a diminuição ocorreu devido à instalação de mais contêineres de lixo na orla: foram mil, além dos ecopontos exclusivos para lixo reciclável. Somente na manhã desta quarta, foram tiradas das ruas do bairro 261 toneladas de lixo, segundo a Comlurb.

Depois da festa da virada, o cansaço bateu para muitos e a solução foi deitar na areia e tirar um procurar uma sombra para tirar um cochilo.

Garis na areia – Banhistas de Copacabana comentavam que a água do mar estava limpa, sem sacos plásticos, flores ou latas de bebida que pudessem deixar desagradável o mergulho.

A limpeza da praia envolveu 1.150 garis e terminou às 9h. Segundo o presidente da Comlurnb Vinícius Roriz, a quantidade de lixo recolhido foi menor que em 2013.

Os garis que varriam as ruas de Copacabana confirmavam que havia menos lixo no chão, mas os garis que limpavam as praias encontravam dificuldades para realizar o trabalho. O sol forte e o mar calmo atraia mais banhistas a cada hora que passava e, por volta das 10h, a praia estava cheia.

Apenas algumas flores ainda estavam na areia por volta das 10h40 desta quarta. Apesar disso, latas na areia ainda eram vistas, pois a praia estava cheia e isso dificultava o trabalho dos garis.

“Este ano está mais difícil, porque a gente limpa e logo alguém suja novamente, e o trabalho não dá vazão”, disse um dos garis da equipe da praia que preferiu não se identificar.

Havia ainda muitos cacos de vidro na areia, o que oferecia risco aos banhistas, principalmente às crianças. No entanto, algumas pessoas ajudavam os garis na limpeza, levando a eles os cacos que encontravam.

Ambulantes que foram a Copacabana vender bebidas durante a festa de Réveillon decidiram continuar o trabalho ao longo da madrugada e durante a manhã desta quarta-feira (1º).

Segundo Cristiano de Jesus, que trabalha na praia com a licença da Prefeitura, nesta época do ano ele compra um latão de cerveja por R$ 3,50, valor maior que o preço fora de temporada. Por isso, os ambulantes aumentam o preço das bebidas e mesmo assim não conseguem 100% de lucro, disse, por causa dos gastos com o gelo. 

Fonte: G1

0 comentários:

Postar um comentário

Eco & Ação

Postagens populares

Parceiros