Tecnologia do Blogger.

Siga-nos por Email

Seguidores

Arquivo do blog

Pesquisar neste blog

quinta-feira, 22 de junho de 2017

Com superlotação, cemitério municipal de Vitória da Conquista removerá restos mortais de covas e transferirá para ossário

Segundo a prefeitura, 221 restos serão transferidos em um primeiro momento. Ossário tem capacidade para 480 corpos.


O Cemitério Municipal do Kadija, em Vitória da Conquista, no sudoeste da Bahia, está próximo de esgotar o número de covas disponíveis. Segundo a prefeitura, atualmente o cemitério possui apenas 10 covas disponíveis para homens, 17 para mulheres e 130 para crianças.

Para amenizar o problema, a administração municipal resolveu retirar das covas os restos mortais enterrados há mais tempo e transferí-los para um ossário. Nesta terça-feira (20), foi realizada uma reunião entre o coordenador de Serviços Básicos da cidade, o diretor e os coveiros do cemitério, a fim de passar as orientações a respeito da exumação, que segundo a prefeitura será iniciada em breve.

Em portaria publicada no Diário oficial de Vitória da Conquista, em 19 de maio, a prefeitura divulgou uma lista com os nomes de 400 pessoas sepultadas entre outubro de 1990 e julho de 1992, que serão exumados. Nesse primeiro momento, serão transferidos para o ossário os restos mortais de 221 pessoas enterradas como indigentes.

"Essa é a única forma de garantir que o cemitério continue atendendo a população, sobretudo a mais carente, que depende desse serviço público”, disse Deocleciano José de Souza Filho, coordenador de Serviços Básicos, Iluminação Pública e Posturas da cidade.

Ainda segundo Deocleciano Filho, o número de túmulos disponíveis vem caindo de forma muito rápida. Se não for realizado o processo de exumação, o cemitério pode perder a capacidade de realizar novos enterros em apenas alguns dias. “É uma calamidade pública. A gente tem quem estar vigilante para que isso não aconteça”, acrescenta.

Com essas primeiras exumações, a prefeitura espera manter a capacidade para novos sepultamentos por até cinco meses no Cemitério do Kadija. Neste intervalo, a administração municipal irá prosseguir com a transferência dos restos mortais, seguindo os nomes divulgados na lista.

De acordo com a prefeitura, o procedimento já estava previsto no Código de Posturas, que rege o funcionamento dos cemitérios públicos, desde 1993. De acordo com esse mesmo Código, todos os corpos enterrados no cemitério público podem ficar por até 48 meses nas covas. Após esse período, a prefeitura poderá colocar os restos mortais da pessoa enterrada em uma gaveta, dentro de um ossário, mediante uma taxa anual a título de aluguel.

Fonte: G1

Eco & Ação

Ecologia

Loading...

Postagens populares

Parceiros