Tecnologia do Blogger.

Siga-nos por Email

Seguidores

Arquivo do blog

Pesquisar neste blog

terça-feira, 24 de abril de 2018

400 presos de Santa Catarina vão iniciar testes com tornozeleiras eletrônicas

Santa Catarina vai iniciar em breve testes com tornozeleiras eletrônicas em 400 presos do sistema prisional. A decisão foi tomada nesta sexta-feira (16), após reunião com os secretários da Segurança Pública, Justiça e Cidadania, DEAP com magistrados e promotores.
O encontro aconteceu no auditório da Academia da Polícia Civil (Acadepol) e contou com a presença de representantes de duas empresas especializadas em sistema de monitoramento a sentenciados.

Segundo o secretário André Luis Mendes da Silveira, o projeto de monitoramento eletrônico em presos busca garantir um controle eficaz nos presos com autorização judicial para sair das unidades prisionais. “Vamos iniciar os testes para ver seu funcionamento e se compensa o uso deste equipamento”, disse o secretário, que também acredita que a medida irá atenuar o problema de superlotação das unidades prisionais.

Inicialmente, apenados das comarcas de Florianópolis, Joinville, Chapecó, Curitibanos, Itajaí, Rio do Sul e São Miguel D’Oeste deverão testar o sistema de monitoramento eletrônico. As empresas se comprometeram a fornecer os equipamentos para testes. Caso o sistema seja aprovado, a Secretaria da Segurança Pública abrirá licitação para a escolha do melhor projeto tendo como critério o menor preço.

As duas empresas que participaram da reunião mostraram as vantagens do produto. Os técnicos acreditam que o preço de cada tornozeleira gire em torno de R$ 600 a R$ 700,00, mais os custos com manutenção e monitoramento, que será de responsabilidade das centrais instaladas pela própria empresa vencedora da licitação. As tornozeleiras são a prova d’água e emitem um sinal a qualquer deslize do preso monitorado.

Para o secretário André Luis Mendes da Silveira, falta ainda definir com clareza alguns pontos como, por exemplo, o grau de vulnerabilidade do sistema e como será feito o monitoramento do preso com tornozeleira. “Todas essas dúvidas serão esclarecidas com os testes que serão feitos com os 400 presos. Acreditamos que assim poderemos ter uma visão mais clara da situação”, comentou.

Para o juiz Júlio César Ferreira de Melo, coordenador da Coordenadoria de Execução Penal e da Infância e Juventude (Cepij), a idéia é testar o equipamento nos presos do regime semi-aberto, prisão domiciliar e saída temporária. “Temos que ver se vale à pena investir neste projeto. Se der certo, o Poder Executivo ficará responsável pelo processo de licitação”. O encontro contou ainda com a participação do secretário executivo de Justiça e Cidadania, Justiniano Pedroso, e do diretor do Departamento de Administração Penal, Adércio Velter e Promotores.

Fonte: Assessoria imprensa Secretaria de Estado da Segurança Pública e Defesa do Cidadão

Eco & Ação

Ecologia

Loading...

Postagens populares

Parceiros