Colaboradores

Tecnologia do Blogger.

Siga-nos por Email

Seguidores

Arquivo do blog

Pesquisar neste blog

terça-feira, 6 de maio de 2014

Sustentabilidade nos meios turístico e hoteleiro, artigo de Roberto Naime

O mundo vive uma crescente conscientização quanto aos temas ambientais, não sendo mais possível exercer a atividade econômica sem a preocupação com o meio ambiente. Todos estamos inseridos e usufruindo do meio ambiente e causando transformações em seus aspectos naturais e sociais que influenciam diretamente na busca do equilíbrio para a uma boa qualidade de vida num ambiente saudável.

Neste contexto, está cada vez mais disseminado o conceito de sustentabilidade. O panorama da sustentabilidade na Europa atual está muito mais vinculada com a questão da redução das emissões de gases de efeito estufa, que são o CO2 (dióxido de carbono), o CH4 (metano) e outros gases menores, mas aqui no Brasil a preocupação maior ainda são itens relacionados ainda com a sustentabilidade das variáveis operacionais.

A cada momento existe a necessidade de uma participação efetiva na busca pela qualidade ambiental. A qualidade ambiental se materializa em ações como o tratamento de esgotos, efluentes e água, na gestão dos resíduos sólidos, no monitoramento atmosférico, na eficiência energética e na otimização do uso de recursos hídricos e nos programas de responsabilidade socioambientais. Ainda é necessário se preocupar com conceitos de ecodesign, quando forem aplicáveis.

Ainda é necessário investigar e compreender como ocorrem as relações ambientais no segmento turístico, investigando o nível de consciência coletiva que apresenta.

Fazem parte do meio turístico, os hóspedes e os colaboradores. É necessário investigar a percepção ambiental através de práticas de sustentabilidade existentes e percebidas no ramo hoteleiro.

Os ambientes turísticos em geral tem períodos de sazonalidade extremado, onde no verão, é ocupada por turistas vindos dos mais variados pontos, e no inverno existe uma baixa taxa de ocupação hoteleira. O litoral norte do estado do Brasil, possui belezas naturais, belas praias e uma localização privilegiada e atrai turistas de várias cidades, tanto pela facilidade de acesso e proximidade com grandes centros. Durante o período considerado alta temporada, compreendido pelos meses de dezembro, janeiro e fevereiro, o litoral tem sua população ampliada em várias vezes. O resultado desta explosão habitacional temporária, sem dúvida recai sobre a possibilidade de uma hospedagem sustentável. A incapacidade econômica de manter esta estrutura durante a baixa temporada cria condições de gerar impactos ambientais negativos durante a chamada “alta temporada”.

Muitos fatores incentivam o crescimento acelerado do mercado turístico, podemos citar as influências econômicas e sociais geradas pela globalização, o aumento do tempo de lazer na medida em que se reduzem as jornadas de trabalho, o aumento do poder aquisitivo de amplas camadas da população brasileira e a própria diminuição das fronteiras empresariais. Estes fatores todos fomentam um processo empresarial competitivo acirrado (Dias 2006).

O universo turístico está em crescente desenvolvimento e cria uma demanda cada vez maior sobre os recursos naturais. O mercado turístico e hoteleiro em especial se preocupa para que esta pressão sobre os recursos naturais não tenha efeitos sobre o nível de bem-estar dos turistas/hóspedes. A Qualidade Ambiental na hotelaria faz parte de um contexto maior, e o Turismo precisa avançar em seus conceitos e práticas.

A atividade hoteleira é complexa, com intensa circulação de rotatividade de seus hóspedes, se busca investigar o quanto esta realidade está instrumentalizada por práticas sustentáveis.

As atividades hoteleiras ligadas a sustentabilidade ainda limitam-se ao consumo de energia e materiais, pois, através da otimização destes recursos, o retorno financeiro, advindo do corte de custos, pode ser percebido pela empresa em um curto espaço de tempo. Os incentivos oferecidos ao mercado turístico foram conduzidos de forma a fomentar o fluxo turístico, onde o crescimento econômico e degradador sobrepôs o crescimento da consciência e importância de práticas ambientais para o desenvolvimento do Turismo (Gonçalves, 2004).

Ao determinar a existência e a valoração das práticas de sustentabilidade, haverão a criação de ferramentas que contribuem para auxiliar os gestores privados e as autoridades públicas na definição de instrumentos a serem adotados e políticas públicas e estratégias privadas a serem formuladas.

DIAS, Reinaldo. Gestão ambiental: Responsabilidade Social e Sustentabilidade.São Paulo: Atlas, 2006.

GONÇALVES, Luiz Cláudio. Gestão Ambiental em meios de hospedagem. São Paulo: Aleph, 2004 – (série Turismo).

Dr. Roberto Naime, Colunista do Portal EcoDebate, é Doutor em Geologia Ambiental. Integrante do corpo Docente do Mestrado e Doutorado em Qualidade Ambiental da Universidade Feevale.

Fonte: EcoDebate

0 comentários:

Postar um comentário

Eco & Ação

Postagens populares

Parceiros