Tecnologia do Blogger.

Siga-nos por Email

Seguidores

Arquivo do blog

Pesquisar neste blog

quarta-feira, 1 de junho de 2016

Relatório aponta 2015 como ano recorde para energias renováveis

Em muitos países, as renováveis já são competitivas, em termos de custos, com os combustíveis fósseis.

O Relatório da Situação Global das Energias Renováveis 2016, divulgado nesta quarta-feira (1) pela REN21, revela que as renováveis estão agora firmemente estabelecidas como competitivas e são as principais fontes de energia em vários países do mundo.

O ano de 2015 estabeleceu um recorde para as instalações de energias renováveis. A capacidade de geração de energia limpa registou o maior aumento da história, com uma estimativa de 147 gigawatts (GW) adicionais. A capacidade calorífica das energias renováveis modernas também continua a aumentar e a utilização das renováveis alargou-se ao setor dos transportes. A distribuição de energias renováveis está a avançar rapidamente, para combater a distância entre os que têm e os que não têm acesso à energia.

Estes resultados foram impulsionados por vários fatores. Em primeiro lugar e, sobretudo, as renováveis já são competitivas em muitos países, em termos de custos, com os combustíveis fósseis.

Além disso, a liderança governamental continua a ter um papel importante na promoção do crescimento das renováveis no setor da energia, particularmente na eólica e solar. Desde o início de 2016, 173 países estabeleceram metas para as energias renováveis e 146 países elaboraram políticas de apoio. Cidades, comunidades e empresas estão a liderar a rápida expansão do movimento “100% renováveis”, desempenhando um papel vital nos avanços da transição energética mundial.

Outros fatores de crescimento incluem o melhor acesso a financiamento, preocupações relativamente à segurança energética e ambiental e o aumento da procura por serviços de energia modernos, nas economias em desenvolvimento e emergentes.

Segundo Christine Lins, Secretária Executiva da REN21: “O que é verdadeiramente notável acerca destes resultados é que eles foram alcançados numa altura em que os preços dos combustíveis fósseis atingiram níveis historicamente baixos, e as renováveis mantiveram-se em situação de considerável desvantagem em termos de subsídios governamentais. Por cada dólar gasto para promover as renováveis, quase quatro dólares foram gastos para manter a nossa dependência de combustíveis fósseis”.

Não foram apenas novas instalações que tiveram destaque em 2015, mas também o investimento – atingindo mundialmente 286 mil milhões de dólares em eletricidade e combustíveis de origem renovável; se o investimento na grande hídrica (>50 MW) e no aquecimento e arrefecimento forem tidos em conta, o total será bastante superior. Com a China responsável por mais de um terço do total global, os países em desenvolvimento ultrapassaram, pela primeira vez, os países desenvolvidos no investimento total realizado em energias renováveis.

Novos empregos

Com o aumento do investimento, aumentam os avanços tecnológicos, os empregos e a redução dos custos. Existem atualmente 8.1 milhões de pessoas a trabalhar no setor das energias renováveis – o que representa um crescimento contrastante com a depressão no mercado de trabalho do vasto setor da energia.

Desafios

Embora as tendências sejam, em geral, positivas, o relatório destaca diversos desafios que precisam de ser equacionados, caso os governos queiram cumprir os seus compromissos em alcançar a transição global fora do âmbito dos combustíveis fósseis.

Esses desafios incluem: alcançar uma eficaz integração de elevadas percentagens de energia renovável na rede; resolver a instabilidade política e as políticas, as barreiras regulamentares e os constrangimentos fiscais. Além disso, existe uma menor política direcionada para o transporte e, particularmente, para o aquecimento e arrefecimento, o que faz com que estes setores progridam muito mais lentamente.

Baixe o relatório completo aqui.


Fonte: Ciclo Vivo

Eco & Ação

Ecologia

Loading...

Postagens populares

Parceiros