Colaboradores

Tecnologia do Blogger.

Siga-nos por Email

Seguidores

Arquivo do blog

Pesquisar neste blog

sexta-feira, 29 de março de 2013

Balsa vira e derrama composto asfáltico no Rio Negro


Manaus, AM – Uma balsa carregada de Composição Asfáltica Primária, utilizada para a produção de asfalto, tombou em um porto privado, em Manaus, provocando o derramamento do produto no Rio Negro. Dois tanques caíram na água, cada um com 30 mil litros. O conteúdo de um deles vazou para as águas do rio. A retirada do derivado de petróleo da água está sendo acompanhada pelo Instituto de Proteção Ambiental do Estado do Amazonas (Ipaam) e deve durar até a próxima segunda-feira.

O acidente aconteceu na manhã da terça-feira (26) e foi descoberto pelo Batalhão Ambiental da Polícia Militar, que mantém uma base flutuante a poucos metros do local do derramamento.

Funcionários da empresa afirmam que a balsa se chocou contra rochas no fundo do rio, causando uma rachadura no casco. Com a entrada da água, a embarcação virou e derrubou 2 dos 4 tanques que carregava. Segundo informações do Ipaam, a empresa Chehuan tem licença ambiental para transporte do produto, mas não a tinha para fazer o transbordo da carga naquele local.

O Ipaam deu prazo de 30 dias para a empresa apresentar um relatório conclusivo sobre as causas do acidente e a comprovação de destinação do produto retirado da água. Ela terá também que recolher os tanques afundados e providenciar a limpeza de barcos atingidos pela mancha do produto.

De acordo com o instituto, a empresa tomou medidas emergenciais de contenção. A mancha de derivado de petróleo sobre a água media, segundo o Ipaam, cerca de 900 metros quadrados (equivalente a um quadrado de 30x30 metros). Mas esta informação não leva em conta que parte do produto escapou da contenção e foi levada pela correnteza do Rio Negro. O material derramado, Composição Asfáltica Primária, é inflamável e bastante aderente. Para remediar a situação, o Centro de Defesa da Amazônia, da Petrobras, foi acionado.

A Delegacia Especializada em Crimes contra o Meio Ambiente (Dema) está investigando e já ouviu os responsáveis pela Chehuan. Só após uma perícia, segundo a delegacia, será possível determinar responsabilidades e penalidades pelo acidente.

Fonte: O Eco

0 comentários:

Postar um comentário

Eco & Ação

Postagens populares

Parceiros