Colaboradores

Tecnologia do Blogger.

Siga-nos por Email

Seguidores

Arquivo do blog

Pesquisar neste blog

quarta-feira, 9 de outubro de 2013

APA Dona Francisca abriga espécies de plantas e animais ameaçados de extinção

Sobrevivência dessas espécies depende da preservação da área

Inserida na Mata Atlântica, a vegetação da APA (Área de Proteção Ambiental) Serra Dona Francisca concentra 18,8% da riqueza de Santa Catarina, 5,9% da abundância do Domínio Mata Atlântica e 2,8% da variedade registrada para o Brasil no Catálogo de Plantas e Fungos do Brasil de 2010. São 955 espécies vegetais pertencentes a 134 famílias botânicas. Oito dessas espécies da flora brasileira estão ameaçadas de extinção: pinheiro-brasileiro (Araucaria angustifólia), palmiteiro (Euterpe edulis), bromélia (Aechmea blumenavii), xaxim (Dicksonia sellowiana), caeté-banana (Heloconia farinosa), canela preta (Ocotea catharinensis), canela sassafrás (Ocotea odorífera), e imbuia (Ocotea porosa).

A coordenadora das Unidades de Conservação da Fundema (Fundação Municipal do Meio Ambiente), a bióloga Dalzemira Souza, afirma que a mais emblemática das plantas em extinção é o pinheiro-brasileiro. “Ela está na floresta de transição ombrófila densa (característica de regiões chuvosas) e é classificada como uma espécie pioneira e emergente porque fica acima de todas as outras. Está em extinção porque foi explorada durante muito tempo pela qualidade da madeira”, explica sobre a árvore que só aparece quase na divisa de Joinville com Campo Alegre. “Nela o sexo é separado em macho e fêmea, diferentemente das outras, que tem os dois sexos numa mesma árvore. As sementes são alimentos para fauna e as aves e mamíferos fazem a dispersão”, detalha.

Planta ornamental de beleza reconhecida, o xaxim é visto em poucos pontos na região da APA. Os palmiteiros e caetés-banana são mais comuns na região da área de preservação ambiental, mas também correm o risco de deixarem de existir. “Eles ficam em áreas úmidas próximas a cursos d’água. O palmiteiro está na floresta ombrófila densa e é uma espécie do final de sucessão da floresta. Seus frutos são fontes de alimentos para várias espécies de aves e mamíferos”, informa Dalzemira.

De acordo com o Plano de Manejo da área, a APA concentra 849 espécies de plantas com flores (angiospermas) de 10 famílias; 102 espécies de samambaias e licófitas (pteridófitas) de 20 famílias; e duas espécies de dois tipos de coníferas (gimnospermas como os pinheiros) e musgos e hepáticas (briófitas).

Preservação é fundamental

O risco de extinção dos mamíferos e aves também preocupa. No diagnóstico de campo realizado para o Plano de Manejo da APA Serra Dona Francisca foram registradas 33 espécies de mamíferos terrestres. No entanto, com dados da literatura, os pesquisadores concluíram que 112 espécies vivem na APA, sendo que 27 (24,1%) são endêmicas (características da região) da Mata Atlântica. O bugio-ruivo (Alouatta guariba clamitan), a jaguatirica (Leopardus pardalis), o gato-do-mato-pequeno (Leopardus tigrinus), o puma (Puma concolor), o cateto (Pecari tajacu), a anta (Tapirus terrestris) e a paca (Cuniculus paca) estão nas listas de espécies com algum grau de ameaça de extinção.

Os estudos para o Plano de Manejo da APA apontaram também 296 espécies de aves, sendo que 274 foram registradas dentro dos limites da área de proteção e 162 fora dela (22 dessas unicamente fora dos limites, mas com possibilidades de ocorrência na Unidade). Vinte e três espécies registradas são consideradas ameaçadas, sendo nove no âmbito global, cinco no nacional e 20 no estadual.

A Maria-catarinense (Hemitriccus kaempferi) tem grande importância por estar ameaçada e ser endêmica da região. “É por esse tipo de cenário que se criam as unidades de conservação, é uma estratégia e um apelo para manter remanescentes da floresta atlântica e da fauna”, observa a bióloga Dalzemira Souza, coordenadora das Unidades de Conservação da Fundema.

Plantas ameaçadas de extinção

Pinheiro-brasileiro (Araucaria angustifólia)
Palmiteiro (Euterpe edulis)

Bromélia (Aechmea blumenavii)
Xaxim (Dicksonia sellowiana)

Caeté-banana (Heloconia farinosa)

Canela preta (Ocotea catharinensis)

Canela sassafrás (Ocotea odorífera)

Imbuia (Ocotea porosa)

Animais ameaçados de extinção

Bugio-ruivo (Alouatta guariba clamitan)

Jaguatirica (Leopardus pardalis)

Gato-do-mato-pequeno (Leopardus tigrinus)

Puma (Puma concolor)
Cateto (Pecari tajacu)

Anta (Tapirus terrestris) 
Paca (Cuniculus paca)

Maria-catarinense (Hemitriccus kaempferi)

Fonte: Notícias do Dia

0 comentários:

Postar um comentário

Eco & Ação

Postagens populares

Parceiros