Colaboradores

Tecnologia do Blogger.

Siga-nos por Email

Seguidores

Arquivo do blog

Pesquisar neste blog

terça-feira, 29 de abril de 2014

Os impactos do turismo sobre o meio antrópico ou socioeconômico, artigo de Roberto Naime

O meio socioeconômico ou a dimensão antrópica do meio ambiente engloba fatores econômicos, sociais e culturais. Existem com certeza mais impactos positivos sobre o meio ambiente do que negativos, embora muitas simplificações imaginem que não seja assim.


O primeiro impacto positivo decorre da criação de planos e programas de conservação e preservação de áreas naturais, sítios arqueológicos ou monumentos históricos e arquitetônicos. Ocorrem em geral algum tipo de investimento em medidas preservacionistas, a fim de manter a qualidade e a atratividade dos recursos naturais existentes e das formulações socioculturais.

A própria renda decorrente da atividade turística proporciona as condições financeiras necessárias para a implantação de equipamentos de infraestrutura ou outras medidas preservacionistas. Com frequência os diversos tipos de empresa interessados na atividade se cotizam e adotam programas comuns de preservação e valorização.

O turismo opera grandes descobertas. Com frequência certos aspectos naturais em regiões que antes não eram valorizadas passam a ser em função do interesse turístico.

A atividade turística possibilita a interação cultural e o aumento da compreensão entre os povos. Na medida que os usos e costumes das comunidades são conhecidos e compreendidos, a consequência direta é um avanço no entendimento.

A utilização mais racional dos espaços e a valorização do convívio direto com a natureza são itens de relevância e que devem ser ressaltados. A recuperação psicofísica dos indivíduos, resultante do descanso, das atividades de entretenimento e do distanciamento temporário do cotidiano profissional e social, encerram os importantes tópicos de impactos positivos da atividade turística sobre o meio antrópico.

Os impactos comprometedores ou negativos do turismo nesta mesma dimensão são bem mais limitados. A existência de barreiras sociopsicológicas entre as comunidades receptoras e os turistas certamente é um dos impactos negativos que mais merece atenção.

Muitas vezes, os recursos da atividade turística circulam de modo restrito, privilegiando a organização do núcleo receptor, enquanto a população como um todo não é beneficiada pela atividade, ficando com uma parcela menor dos recursos.

Também ocorre a ocupação e destruição de áreas naturais, que se tornam urbanizadas ou antropomorfizadas de uma forma desordenada, gerando poluição por ausência de saneamento básico, ausência de infraestrutura para tráfego de veículos e até mesmo de pessoas.

Este último item é muito comum nas praias do litoral brasileiro, desde o sul até o nordeste, onde o uso e ocupação desordenados do solo produz situações de difícil reparação e danos ambientais relevantes e muitas vezes irreversíveis.

Todos estes itens devem ser considerados nas atividades de planejamento e ações de políticas públicas ou estratégias privadas que projetem melhorias na qualidade ambiental e na qualidade de vida em geral das populações afetadas.

Dr. Roberto Naime, Colunista do Portal EcoDebate, é Doutor em Geologia Ambiental. Integrante do corpo Docente do Mestrado e Doutorado em Qualidade Ambiental da Universidade Feevale.

Fonte: EcoDebate

0 comentários:

Postar um comentário

Eco & Ação

Postagens populares

Parceiros