Colaboradores

Tecnologia do Blogger.

Siga-nos por Email

Seguidores

Arquivo do blog

Pesquisar neste blog

terça-feira, 9 de abril de 2013

Aerossóis produzidos pela queima de combustíveis fósseis retardam crescimento dos recifes de coral



A nova pesquisa [Caribbean coral growth influenced by anthropogenic aerosol emissions], publicada na revista Nature Geoscience , mostra pela primeira vez que há uma ligação clara entre a velocidade em que os corais crescem e a poluição causada pela atividade humana.

A equipe internacional descobriu que, quando essas partículas finas – conhecidas como aerossóis – são liberadas para a atmosfera, tanto por erupções vulcânicas como pela queima de carvão, elas refletem a luz solar, como se produzissem uma sombra na Terra. Este processo é conhecido como “escurecimento global”. Ele impede que a luz solar necessária chegue ao coral e, ao mesmo tempo, esfria as águas circundantes. Juntos, esses fatores desaceleram o crescimento dos corais.


‘O coral cresce através da produção de esqueletos de carbonato de cálcio contribuindo para um processo chamado acreção de recife “, explica Lester Kwiatkowski, um estudante de doutorado, da Universidade de Exeter, que liderou a pesquisa. ”Desde que a estrutura do recife está continuamente a ser ‘atacado’ e quebrado por tempestades e outros fatores, há a necessidade de um equilíbrio importante entre a acumulação e a perda de carbonato de cálcio.”

Temperaturas mais baixas na superfície do mar e a falta de luz solar para a fotossíntese podem significar que os corais não podem produzir carbonato de cálcio suficiente para manter esse equilíbrio.”Se as taxas de crescimento são significativamente desaceleradas então os recifes podem mudar para um estado de erosão líquida”, diz Kwiatkowski. ”Se este processo for contínuo, os recifes poderiam desaparecer lentamente ao longo do tempo.”

Sua análise foi baseada em uma combinação de registros de esqueletos de coral, observações de navios, simulações de modelos climáticos e modelagem estatística. Isso mostra que as taxas de crescimento de corais no Caribe foram afetadas pelas emissões de aerossóis vulcânicos no início do século 20, mas que com o tempo as emissões de aerossóis, de origem humana, começaram a ter um impacto maior.

Os autores optaram pesquisar os corais no Caribe, para acompanhar o trabalho publicado na Nature no ano passado, que mostrou que as temperaturas da superfície do mar, no Atlântico Norte, foram influenciadas pelos aerossóis lançados pela atividade humana, na segunda metade do século 20.

Ao entender como a poluição do ar afeta o crescimento de corais, a equipe espera obter maiores informações sobre como o crescimento coral vai mudar no futuro, principalmente em relação ao branqueamento dos corais, resultante de altas temperaturas da superfície do mar

Lester Kwiatkowski, Peter M. Cox, Theo Economou, Paul R. Halloran, Peter J. Mumby, Ben B. B. Booth, Jessica Carilli and Hector M. Guzman (2013)
Caribbean coral growth influenced by anthropogenic aerosol emissions
Nature Geoscience 10.1038/NGEO1780
http://www.nature.com/ngeo/journal/vaop/ncurrent/full/ngeo1780.html

Fonte: EcoDebate

0 comentários:

Postar um comentário

Eco & Ação

Postagens populares

Parceiros