Colaboradores

Tecnologia do Blogger.

Siga-nos por Email

Seguidores

Arquivo do blog

Pesquisar neste blog

quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Apesar do alerta para pontos impróprios, banhistas entram em contato com a água do mar contaminada

Placas colocadas pela Fatma não são observadas por muitos turistas e moradores


Antes de tomar um banho de mar é preciso ficar atento à lista divulgada pela Fatma (Fundação do Meio Ambiente) com as praias próprias e impróprias para banho. No último relatório, apresentado na sexta-feira, dos 66 pontos analisados em Florianópolis, 45 foram liberados e 21 receberam reprovação. Balneários como Canasvieiras, Ingleses, Lagoa da Conceição e Pântano do Sul têm locais inadequados para o contato com a água. Mesmo com as placas informando a situação de perigo, muitos banhistas desobedecem ao alerta e entram no mar, correndo o risco de adquirir doenças. 

A partir do posicionamento da placa impeditiva, técnicos da Fatma recomendam uma distância de 50 metros a cem metros para o banho. Na praia dos Ingleses são dois pontos impróprios. Em frente à rua do Siri, a sinalização está apagada e não é possível compreender a balneabilidade do local. A assessoria de imprensa da Fatma informou que todas as marcações foram atualizadas na última semana e que esse caso é pontual e pode ter sido alvo de vandalismo.

Sem informações, turistas se aventuram no local. “Viemos sempre para cá. Mas não tenho o costume de olhar a indicação ao chegar à praia”, conta Mauro Lopes, morador do Rio Grande do Sul. A argentina Taiana Peres e a pequena Martina brincavam no mar, perto placa apagada que deveria indicar que a qualidade da água não é própria no local. “Gostamos daqui e achamos limpa, não vimos nenhuma indicação que dissesse o contrário”, relata Tatiana.

Coliformes fecais presentes no mar podem causar doenças

A Fatma alerta os banhistas sobre a necessidade de verificar se o local é próprio ou impróprio para banho antes de entrar no mar.  Durante o verão, semanalmente, o órgão coloca placas nas praias, rios e lagos depois de analisar a água.

De acordo com o gerente de pesquisa e análise da qualidade ambiental da Fundação, Haroldo Tavares Elias, tomar banho em locais impróprios representa um problema de saúde pública. “Alertamos mas placas quando há uma fonte poluidora próxima. As condições de balneabilidade são determinadas pela quantidade de coliformes fecais amostradas”, explica o gerente.

Entrar em contato com a água do mar em condições impróprias pode causar doenças. A mais comum é a gastroenterite que tem como sintomas vômito, diarreia, cólicas e febre. Outras enfermidades como micoses, conjuntivite e leptospirose também podem ser adquiridas. "Aos moradores e turistas que veraneiam em determinadas praias com maior frequência de pontos problemáticos, recomenda-se que verifiquem o histórico do local”, alerta.

Acesse o “QR Code” ao lado para conferir o mapa completo da balneabilidade. Nele é possível observar o comportamento de longo prazo dos locais quanto à presença de coliformes e saber como estão as condições atuais da praia.

Fonte: Notícias do Dia

0 comentários:

Postar um comentário

Eco & Ação

Postagens populares

Parceiros