Tecnologia do Blogger.

Siga-nos por Email

Seguidores

Arquivo do blog

Pesquisar neste blog

terça-feira, 25 de abril de 2017

Cemitério está abandonado em Cuiabá

Familiares reclamam da desorganização e do abandono no Cemitério da Piedade, o mais tradicional de Cuiabá, localizado na região central da cidade.

A professora Neila Barreto, que tem a mãe e a sogra sepultadas lá, postou fotos no Facebook, de um caixão exposto.

Para ela, isso é falta de respeito com a memória dos mortos. "Quem a gente ama na verdade não morre, porque estamos sempre com saudades e guardando as melhores lembranças", comenta.

Na semana passada, ela foi acender vela nos jazigos da família e encontrou, além do caixão exposto próximo de onde a sogra foi enterrada, muito lixo no chão, outros sepulcros abertos. "Nos fundos do cemitério está assim. Eles limpam só na frente", reclama.

A aposentada Helena Luiza, 72, enterrou a mãe no Cemitério da Piedade em 5 de maio do ano passado. "Morreu aos 90 anos", lembra. Porém, além do luto, o inusitado aconteceu. Seis meses após o sepultamento o cemitério ligou avisando que ela tinha sido enterrada em jazigo errado.

"Foi muito desconfortável para nós. O dono do jazigo estranhou, disse que ninguém tinha morrido na família dele e mesmo assim tinha alguém enterrado lá. Aí que foram ver e era minha mãe que estava enterrada lá. Teve que desenterrar e enterrar novamente. Minha mãe foi enterrada duas vezes", detalha dona Helena. Apesar do desconforto, a família não fez reclamação formal, apenas lamentou o fato.

No Cemitério da Piedade, estão enterrados ilustres como o ex-governador Dante de Oliveira e o humorista Liu Arruda, entre muitos outros nomes da história local, além de anônimos.

"Todos merecem respeito", ressalta Neila.

Outro lado

O Gazeta Digital questionou a Prefeitura de Cuiabá quanto a este problema, através da Secretaria de Serviços Urbanos, mas não obteve retorno até o fechamento desta matéria.

Informou apenas que o município administra o Cemitério da Piedade em parceria com empresas do ramo funerário.

Fonte: Folha Max

Eco & Ação

Ecologia

Loading...

Postagens populares

Parceiros