Colaboradores

Tecnologia do Blogger.

Siga-nos por Email

Seguidores

Arquivo do blog

Pesquisar neste blog

terça-feira, 11 de junho de 2013

Ação com idosos de favela carioca é exemplo internacional de cidadania

Um projeto de assistência médica gratuita foi desenvolvido no morro Santa Marta, zona sul do Rio de Janeiro. Durante 18 meses, a iniciativa disponibilizou atendimentos médicos a domicílio e favoreceu a popularização de novas tecnologias para a saúde pública, além de dar origem a estudos sociais que revelam condições dos moradores da favela carioca.
Um time de onze profissionais – quatro médicos, três enfermeiros e três auxiliares – passou mais de um ano visitando as casas de moradores idosos para fazer exames rápidos por meio da mochila E-Health – um kit capaz de medir vários indicadores de saúde, desde exames de pressão sanguínea e diabetes, até avaliações cardíacas e exames de sangue.

A ação foi coordenada pela New Cities Foundation, em parceria com a GE, a Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) e a Prefeitura do Rio de Janeiro. “Eu fiquei orgulhosa dos resultados, pois conseguimos criar um projeto que envolve desde empresas e autoridades públicas até os moradores do morro Santa Marta. O pessoal envolvido gostou do projeto, fez isso funcionar. Os idosos ficaram muito felizes”, declarou a coordenadora local do New Cities Foundation, Rosalie Marin ao CicloVivo.

De acordo com Rosalie, o envelhecimento dos brasileiros e o isolamento dos idosos que moram nos morros foram fatores determinantes para a execução do projeto-piloto. Além disso, os ativistas ficaram incomodados ao perceber que a população de baixa renda tem pouco acesso a tecnologias aprimoradas na área de saúde.

“Uma das metas do projeto é proporcionar a tecnologia necessária para a população de baixa renda, principalmente para os idosos. Os moradores amaram a ideia – eles dizem que as visitas domiciliares trazem conforto, até porque os exames são realizados em casa e os resultados são divulgados na hora”, relatou a ativista suíça.

Agora, as autoridades da capital fluminense pretendem realizar a iniciativa em outras favelas. “Esta experiência foi um grande sucesso, os resultados foram de muita satisfação, seja pelos usuários, seja para os profissionais de saúde que trabalhavam com essa tecnologia. A partir desta experiência, vem a expectativa de poder expandir para outras áreas da cidade, trazendo essa ferramenta inovadora para cuidarmos dos idosos”, afirmou Hans Dohmann, Secretário Municipal de Saúde do Rio de Janeiro.

Fonte: Mercado Ético

0 comentários:

Postar um comentário

Eco & Ação

Postagens populares

Parceiros