Colaboradores

Tecnologia do Blogger.

Siga-nos por Email

Seguidores

Arquivo do blog

Pesquisar neste blog

quinta-feira, 13 de junho de 2013

Poluído na capital, Tietê pode resolver falta de água em Araçatuba/SP

Conhecida pela poluição na região da Grande São Paulo, a água do rio Tietê vai servir para abastecer as torneiras das casas de Araçatuba, a 530 quilômetros da capital. Esta será a primeira cidade não ribeirinha do Estado a usar a água do rio para abastecer sua população de 180 mil habitantes.
A cidade coloca em funcionamento, no sábado, o sistema que vai despejar 24 milhões de litros de água tratada por dia para a população. O projeto de captação e uso da água do Tietê era um sonho das autoridades locais para resolver o problema de falta de água, mas demorou 10 anos para ser concluído. Foram consumidos R$ 27 milhões, sendo R$ 22 milhões dos cofres públicos, com a construção de uma adutora quilométrica e de um conjunto de equipamentos para captar e bombear a água.

Em 2005 as obras foram paralisadas e, em 2013, foram reiniciadas, e concluídas, pela Soluções Ambientais Araçatuba S.A. (Samar) – a concessionária que passou a administrar o abastecimento de água no ano passado com a privatização do serviço público. Segundo a Samar, a empresa teve de investir outros R$ 5 milhões na conclusão do sistema, com a construção de uma nova estação de tratamento para preparar a água para consumo da população.

Para sair nas torneiras, a água será captada por bombas de sucção e de recalque e levada por uma adutora, em uma distância de 15 quilômetros, até a estação de tratamento, construída no bairro Ipanema, na zona norte da cidade. Depois de tratada, a água será enviada para reservatórios elevados que posteriormente farão a distribuição para as casas dos moradores.

De acordo com o presidente da Samar, Renato de Faria, inicialmente serão atendidas residências de 32 bairros, principalmente da zona norte, que enfrenta o maior problema de desabastecimento. “A entrega da Estação do Tietê é uma das metas imediatas que assumimos. Seguimos trabalhando continuamente para oferecer o melhor atendimento e modernizar todo o serviço oferecido para a população”, diz Faria. Além do uso doméstico, o novo sistema também prevê o uso da água, na sua forma bruta, pelas indústrias da cidade.

Apesar do aumento de oferta de água para a população com o novo sistema, a Samar informa que os valores da tarifa de consumo não serão reduzidos ou reajustados.

Holding da construtora OAS, a Samar pagou R$ 39 milhões para assumir a concessão do serviço de abastecimento de água de Araçatuba, privatizado em novembro de 2012. A empresa, responsável por 70 mil ligações de água e esgoto, prometeu investir R$ 340 milhões em 30 anos em troca dos recursos pagos em forma de tarifas pelos moradores.

Qualidade da água – Resultado do monitoramento feito em 2012 pela Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb), divulgado em maio de 2013, informa que a qualidade da água do rio Tietê para fins de abastecimento público na região de onde ela será captada é considerada entre regular e boa. Foram feitas três medições: na área mais próxima, a qualidade da água ficou regular, enquanto em outras duas medições, em áreas de Birigui, município vizinho, a qualidade foi considerada boa.

O presidente da Samar afirma que ocorre um processo de depuração no trajeto entre a Grande São Paulo e Araçatuba e afirmou que “a qualidade da água segue os padrões para captação de tratamento para consumo humano.”

Fonte: Terra

0 comentários:

Postar um comentário

Eco & Ação

Postagens populares

Parceiros