Tecnologia do Blogger.

Siga-nos por Email

Seguidores

Arquivo do blog

Pesquisar neste blog

quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Divisa intensifica combate à dengue nos cemitérios de Santarém

No período chuvoso é importante redobrar os cuidados com água parada. 
Cemitérios Centrais e do Mararu passam por vistoria a cada 15 dias. 


Equipes da Divisão de Vigilância (Divisa) estão intensificando os trabalhos de prevenção e combate à dengue em Santarém, oeste do Pará. Por conta do período chuvoso, a cada 15 dias os profissionais fazem vistorias nos cemitérios Centrais e no cemitério do Mararu para fazer vistorias e eliminar possíveis focos.

Segundo o coordenador de combate, Bruno Renê, a atenção será redobrada nos cemitérios por conta da grande quantidade de focos que podem se formar e a importância estratégia do local. “Devido ao fato do cemitério estar localizado em uma área muito povoada, com a presença de residências, escolas e lojas, nossa preocupação é intensificar este trabalho”, ressalta Renê.

Renê ressalta também a importância da manutenção da limpeza do local, tanto por parte da administração quanto dos responsáveis pelos túmulos. “As pessoas trazem para cá flores e acabam não furando os vasos e não ocorre o escoamento da água. É importante colocar areia até a borda e furar o fundo, pois quando chover isto impede que água se acumule. Temos também vasos permanentes nos túmulos, onde alguns estão cobertos, mas outros não estão. Então, é importante deixar sempre limpo o local”.

Além do acompanhamento nos cemitérios, a Semsa também tem atuado em imóveis no centro urbano, principalmente em terrenos baldios. “Todos os dias temos agentes nas ruas que fazem a visitação nos domicílios. Temos aqueles casos de casa que estão fechadas e quantos aos terrenos baldios, enfatizamos a importância de os donos estarem limpando. Muitos vizinhos pensam que o terreno está abandonado e acaba jogando lixo no local. Atuamos através da conscientização. Se a pessoa não tiver consciência de que ela tem que fazer a parte dela, nosso trabalho é em vão”, conclui Bruno Renê.

Fonte: G1

Eco & Ação

Ecologia

Loading...

Postagens populares

Parceiros