Tecnologia do Blogger.

Siga-nos por Email

Seguidores

Arquivo do blog

Pesquisar neste blog

segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Shokonsai a 96ª edição, atraiu 3 mil pessoas

Ritual tradicional e religioso é realizado há 96 anos em Álvares Machado. 


O evento é aconteceu no único cemitério japonês, que foi tombado pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo (Condephaat). O cemitério conta com 784 pessoas sepultadas, e somente um não era da colônia, mas morreu defendendo os patrões japoneses.

Um convite às almas para a missa. É este o significado do Shokonsai, ritual tradicional e religioso japonês comemorado há 95 anos no único cemitério japonês do Brasil, localizado em Álvares Machado, na estrada vicinal que dá acesso ao distrito de Coronel Goulart. Neste domingo (20), diversos descendentes de japoneses compareceram até o local para homenagear parentes e amigos falecidos. A data é celebrada anualmente no segundo domingo do mês de julho.

O cemitério teve início com a epidemia da febre amarela quando diversos japoneses, principalmente os que trabalhavam na lavoura, morreram no município. “O local mais próximo para o sepultamento era em Presidente Prudente e, muitas vezes, não dava tempo de levar os corpos até a cidade. Por isso, a decisão de fazer o cemitério em Álvares Machado”, explica Alberto Sano, presidente da Associação Cultural, Esportiva e Agrícola Nipo-Brasileira de Álvares Machado (Aceam).

Ainda de acordo com Sano, até o ano de 1943 foram sepultados 784 pessoas, mas, por ordem do então presidente da República Getúlio Vargas, foram proibidos novos sepultamentos no local por entender que havia uma discriminação racial. No cemitério, existe apenas uma pessoa não descendente de japoneses enterrada. O nome do brasileiro é Manoel e, segundo a história, ele morreu heroicamente defendendo uma família de japoneses assassinada por bandidos.

O presidente afirma que cerca de 3 mil pessoas de todo o Brasil passaram pelo evento neste ano. “Durante o dia são realizadas outras atividades como danças típicas, karaokê, além de servir pratos da culinária oriental”, diz.

Espiritualidade
Para os japoneses, o Shokonsai tem um significado importante através do culto aos seus ancestrais. Tradicionalmente às 17h, os membros da colônia oriental acendem velas nos túmulos de seus antepassados.

“Sentimos que o vento para e as velas ficam acesas. É um grande ritual no fim da tarde e ao cair da noite. É um momento especial, pois em 94 anos de Shokonsai, nunca choveu”, conta Mário Ogassawara, responsável pela manutenção e organização do cemitério.

Os japoneses oferecem incenso, frutos, flores e comidas para aqueles que já se foram. De acordo com a estudante Camila Okida, de 18 anos, também é uma tradição oriental. “É uma forma de agradecer tudo o que os nossos familiares fizeram por nós”

Fonte: Todas Funerárias

Eco & Ação

Ecologia

Loading...

Postagens populares

Parceiros