Tecnologia do Blogger.

Siga-nos por Email

Seguidores

Arquivo do blog

Pesquisar neste blog

segunda-feira, 26 de junho de 2017

Mais de 31 mil registros de livros de cemitério em Macapá são digitalizados

Primeira etapa do projeto contempla cemitério São José e foi entregue nesta quinta-feira (22). Organização pretende digitalizar registros de óbitos em todos os cemitérios da cidade.


Mais de 31 mil registros de óbitos do Cemitério São José, localizado na Zona Sul de Macapá, digitalizados foram entregues nesta quinta-feira (22) para a prefeitura de Macapá. A ação faz parte do projeto que vai digitalizar todas as informações dos livros dos três cemitérios da capital.

O trabalho foi feito de forma voluntária pela Organização Family Search, da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, que treinou quatro fiéis. O representante da instituição, Ivaldo Valendo, destacou que o processo, que ainda está em andamento, deve digitalizar todos os registros de óbitos em Macapá, em um prazo de até dois anos.

“São 70 mil registros. Vamos pegar informações dos demais cemitérios da cidade e tudo ficará guardado em um HD externo da prefeitura e outro na sede da instituição, nos Estados Unidos, disponíveis para a consulta”, informou.

Segundo a prefeitura de Macapá, que firmou parceria com a instituição religiosa, a iniciativa deve representar uma economia de cerca de R$ 20 milhões aos cofres públicos e vai facilitar a consulta de informações genealógicas e estarão disponíveis nos cemitérios, site da igreja e da prefeitura.

“São informações que nunca mais se perderão e que poderão ser consultadas por todos os moradores. Também será possível fazer a busca da árvore genealógica com mais facilidade, procurando parentes que faleceram. Todos os documentos foram digitalizados página a página, com uma qualidade certificada pela organização”, destacou o prefeito Clécio Luís.

As informações foram captadas com equipamentos de última geração e depois serão disponibilizadas no site da igreja. Macapá será a terceira capital a ter os registros de óbitos digitalizados, depois de São Paulo e Goiânia, segundo a instituição religiosa.

Nos livros de registros, datados desde a fundação do Cemitério de São José, constam o nome da pessoa falecida, a data do sepultamento, cor, sexo, nacionalidade, idade, causa da morte, filiação, nome do médico que atestou o óbito, o número da quadra e sepultura.

As páginas dos livros foram disponibilizados para a igreja e logo após o projeto finalizado, todos os arquivos digitais serão doados ao município e os registros serão devolvidos.

Fonte: G1

Eco & Ação

Ecologia

Loading...

Postagens populares

Parceiros