Tecnologia do Blogger.

Siga-nos por Email

Seguidores

Arquivo do blog

Pesquisar neste blog

sexta-feira, 11 de novembro de 2016

Curitiba ganha prédio com jardim vertical na fachada e mini-usina solar

O paredão verde traz, ainda, plantas resistentes à poluição e que auxiliam na limpeza do ar.


Em meio às antigas construções do Largo da Ordem – coração do Centro Histórico de Curitiba está recém-construída sede da Andersen Ballão Advocacia. Logo na entrada, a antiga casa que já serviu de escola e até de casa noturna, agora tem um enorme jardim vertical, formado por plantas nativas, orquídeas e flores perenes, que darão o colorido especial ao bairro durante o ano inteiro. O paredão verde traz, ainda, plantas resistentes à poluição e que auxiliam na limpeza do ar.

Segundo a arquiteta Luciana Adelmann, responsável pelo paisagismo da nova sede da Andersen Ballão, o projeto ajuda a devolver a natureza para os grandes centros urbanos. Trata-se de um processo que cria microssistemas ambientais no meio da cidade, a fim de trazer benefícios ecológicos ao meio urbano. “Curitiba tem um excelente potencial para projetos como esse, é uma maneira de dar vida à cidade, melhorar a qualidade do ar, além de trazer mais cor às edificações e qualidade de vida à população”, relata.

Energia limpa que gera produtividade

O prédio conta com energia produzida por meio de painéis fotovoltaicos. Segundo o engenheiro civil Christian Mathieu, que gerenciou a construção, o sistema completo conta com 48 painéis solares, de 260 watts cada, que geram 12.480 watts de potência. “Pelo fato da tecnologia solar fotovoltaica gerar energia com emissão zero de carbono, calcula-se que o meio ambiente deixará de receber 12.976 quilos de dióxido de carbono por ano. A energia gerada e injetada na rede pelo sistema fotovoltaico é utilizada para abater o consumo de energia elétrica da unidade consumidora que, nesse caso, terá uma redução mensal de 30% ao mês. Com essa economia, o sistema se pagará em até cinco anos”, explica.

O prédio possui mil metros quadrados, com capacidade para 95 postos de trabalho. Além da parede verde e da mini usina solar, a construção ainda conta com outras soluções que visam minimizar o impacto ambiental do uso, como um sistema de climatização VRF. O ar-condicionado com expansão direta é totalmente independente e varia de acordo com as necessidades de cada ambiente, evitando gastos energéticos desnecessários.

Fonte: Ciclo Vivo

Eco & Ação

Ecologia

Loading...

Postagens populares

Parceiros