Tecnologia do Blogger.

Siga-nos por Email

Seguidores

Arquivo do blog

Pesquisar neste blog

sexta-feira, 11 de novembro de 2016

“É tempo de avançar com o novo cemitério”

O Bloco de Esquerda de Braga considerou ontem, em conferência de imprensa, que o executivo municipal bracarense está a precipitar-se na construção do Tanatório no Cemitério de Monte D’Arcos.
Os bloquistas reconhecem que o cemitério da cidade está completamente cheio, pelo que é necessário encontrar uma alternativa, que passa pela construção de um novo cemitério, depois de ouvida a população bracarense. 


“A população de Braga devia ser ouvida sobre esta matéria, mas não foi. A população conta com o cemitério de Monte d’Arcos e não o vai ter. O espaço que resta vai ser totalmente ocupado pelo Tanatório, que terá cafetaria, florista, sala para preparação de cadáveres, crematório, jardim da memória e espaço para depósito de cinzas. Para fazerem isto só se o cemitério for alargado, ou fazem uma coisa ‘mixuruca’”, apontou António Lima, do Bloco de Esquerda de Braga.

A construção de um novo cemitério, de que se fala há mais de 20 anos, foi a solução preconizada pelos bloquistas. “O projecto do cemitério devia avançar. Se se vai gastar cerca de um milhão de euros (na construção do Tanatório) num espaço reduz idíssimo, deve-se apostar no novo cemitério”, disse António Lima, lembrando que os cemitérios das freguesias limítrofes da cidade estão também eles esgotados. 

Adiantando que o Tanatório, nos moldes e local em que está a ser construído “é um investimento inoportuno e que não resolve o problema da sobrelotação”, o Bloco de Esquerda de Braga defendeu que tal estrutura faria sentido “num novo cemitério” até mesmo por questões ambientais. 

“Há muito pouca informação sobre o impacto ambiental. A queima de um corpo é a queima do caixão, dos metais, dos chumbos, dos pacemakers (aparelho que faz funcionar o coração), são os plásticos, são as sedas. Há sempre emissão de gases, mais ou menos perigosa consoante a proximidade das habitações”, referiu Maria do Sameiro, do Bloco de Esquerda de Braga, lembrando que no caso do cemitério de Monte d’Arcos, o Tanatório ficará a menos de 200 metros das casas do Bairro Social das Enguardas.
António Lima acrescentou ainda que a estrutura está a ser edificada “na parte mais baixa do cemitério”, o que poderá colocar problemas na difusão dos gases da chaminé. 

Fonte: Correio do Minho

Eco & Ação

Ecologia

Loading...

Postagens populares

Parceiros