Tecnologia do Blogger.

Siga-nos por Email

Seguidores

Arquivo do blog

Pesquisar neste blog

terça-feira, 3 de janeiro de 2017

Sepultamentos podem gerar custos de até R$ 35 mil para famílias em Maceió

Valores variam de acordo com demanda; crematório pode ser opção para baratear despesas


Se você não tem onde cair morto, é melhor começar a se preocupar. Um levantamento feito pela Gazetaweb mostra que os custos com sepultamento em Maceió podem ultrapassar R$ 35 mil, dependendo do padrão definido pela família. Esse valor pode ser ainda mais alto, se houver a necessidade de traslado entre estados.

O preço final inclui taxas em cemitérios, urnas funerárias - como são chamados os caixões -, ornamentação, vestimentas e necromaquiagem. Também podem ser incluídos nessa conta itens menos comuns, como embalsamamento e até mesmo alimentos mais requintados, servidos aos presentes nas cerimônias de despedida.

"De uma maneira geral, sem contar com o espaço do cemitério, as famílias gastam R$ 5 mil. Mas, a gente oferece serviços que podem custar até R$ 15 mil. Vai depender do que a família deseja. Este é um momento muito especial, de despedida", explica Aniele Morgana, que faz parte de uma empresa especializada na área.

E o que justifica essa diferença de valores? Segundo ela, são os detalhes: caixões com acabamento mais requintados, tipos de ornamentação e vestimentas utilizadas, além do processo de embalsamamento. "São os detalhes que influenciam no valor final. Nós devemos estar preparados para atender aos diversos públicos", diz.
O fator planejamento é decisivo para baratear as despesas. Quem deixa para comprar um espaço em um cemitério particular após a morte de um ente pode desembolsar, somente pelo local, mais de R$ 19 mil. O valor final, no entanto, pode ser reduzido em até R$ 5 mil e ser divido em 40 vezes, caso a compra seja "preventiva".

A capital conta hoje com dois cemitérios particulares: o Campo Santo Parque das Flores e o Memorial Parque Maceió. O primeiro, mais antigo, dispõe de 14 mil jazigos ocupados e 1,5 mil unidades livres. A aquisição de um terreno para uso imediato custa R$ 19 mil, enquanto a compra planejada sai por aproximadamente R$ 14 mil.

Já o segundo conta com 20 mil jazigos, sendo 9 mil deles ocupados. Os custos para a aquisição de um espaço no local é de aproximadamente R$ 9 mil, para uso imediato, e cerca de R$ 6 mil na compra preventiva, que também pode ser parcelada.

"Os cemitérios particulares de Maceió oferecem uma estrutura mais agradável aos familiares, num momento bastante doloroso, o que se reflete, por exemplo, no número de visitas, que é bem maior do que nos cemitérios convencionais", explica Bruno Bentes, gerente comercial do Grupo Parque, responsável pelos espaços.

E acrescenta: "Hoje cerca de 90% das nossas vendas são preventivas. Ou seja, as pessoas entenderam que a morte é um momento inevitável e que o melhor é se planejar para evitar transtornos num momento tão delicado".

CEMITÉRIOS PÚBLICOS DE MACEIÓ

A situação é bem diferente nos cemitérios públicos de Maceió. A prefeitura oferece oito espaços à população. Para fazer uso do cemitério, a família deve pagar uma taxa de R$ 109. No entanto, em contrapartida, a estrutura oferecida nem sempre atende à expectativa da família.

O maior cemitério da capital, o São José, foi interditado no ano passado devido à precariedade das instalações. A imprensa chegou a flagar, inclusive, animais carregando ossos humanos. Os sepultamentos foram transferidos para os cemitérios de Santo Antônio, em Bebedouro; São Luiz, no Tabuleiro do Martins; Divina Pastora, em Rio Novo; e Nossa Senhora do Ó, em Ipioca.

Para minimizar o problema, a prefeitura construiu um ossário com 2,4 mil vagas e diz que tem realizado uma série de ações para modernizar os cemitérios.

"A prefeitura construiu um ossário com 2,4 mil vagas, informatizou o sistema de emissão de boletos para sepultamento; tem feito reparos constantes nos cemitérios, como manutenção de capelas e pinturas; e estamos buscando uma forma de ampliar a segurança nos espaços", explica Rogério Barros, diretor do Departamento de Cemitérios.

De acordo com ele, além da taxa de R$ 109 para sepultamento, a Superintendência Municipal de Controle do Convívio Urbano cobra uma taxa de manutenção anual.

CREMATÓRIO PODE SE TORNAR OPÇÃO

Uma alternativa para baratear os custos de quem perde um parente é a chegada de um crematório em Maceió. Embora não exista nenhum em funcionamento atualmente, o Grupo Parque das Flores tem um projeto de implantação. A estimativa é que o processo completo de cremação custe algo entre R$ 5 mil e R$ 6 mil.

"No processo de cremação, o serviço é pontual. Diferente do sepultamento, quando a família adquire um bem, que é o espaço. Esse bem pode ser transferido, é uma propriedade. No caso da cremação, não há compra nem necessidade de pagamento de taxa de manutenção", explica Bruno Bentes, gerente comercial do Grupo Parque.

Segundo ele, há um projeto para implantação de um crematório na capital. A proposta está em fase de análise na Secretaria Municipal de Meio Ambiente.

"Os crematórios funcionariam dentro dos dois cemitérios. A prefeitura está analisando o espaço e os critérios para decidir sobre a liberação. Com a autorização, nós vamos providenciar os fornos crematórios e, com base nos custos, verificar qual o valor final que deverá ser repassado para os clientes", conclui o gerente.

Fonte: Gazeta Web

Eco & Ação

Ecologia

Loading...

Postagens populares

Parceiros