Colaboradores

Tecnologia do Blogger.

Siga-nos por Email

Seguidores

Arquivo do blog

Pesquisar neste blog

quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

Fatma pede nova análise do terreno destinado para construção de shopping em Criciúma

Órgão fazer novo estudo geológico em trecho onde foi localizado água


Cinco dias após a nova vistoria ambiental feita no terreno onde está sendo construído o Parque Shopping Criciúma, os três técnicos do setor de Fiscalização da Fundação do Meio Ambiente de Santa Catarina (Fatma) estão novamente no Sul do Estado para resolver a pendência que ficou pelo caminho: um pequeno trecho onde foi localizado água e que precisa passar por análise para saber se é uma nascente. O pedido para um novo estudo geológico desse ponto específico foi feito ao Grupo Angeloni nesta terça-feira de manhã pelos técnicos da Fatma.

:::"A Fatma não é tão ágil", opina promotor que vai apurar licença para construção de shopping no Sul de SC

Na visita de sexta-feira passada, os técnicos – um geólogo, um engenheiro sanitarista e um geógrafo – perceberam um ponto úmido, escuro, no meio do terreno, que se agigantou nas imagens feitas de um sobrevoo de helicóptero. 

Ali, segundo o diretor de Fiscalização da Fatma, Márcio Alves, pode haver uma nascente – a terceira encontrada dentro da área. A diferença, porém, é que esta nova suspeita está localizada dentro dos 132 mil metros quadrados liberados para a construção do shopping, que já está em andamento. 

As outras duas fazem parte de uma área, dentro do mesmo terreno, que foi proibida pelo Ministério Público de Santa Catarina de receber obras. A empresa, inclusive, terá que cumprir um plano de recuperação das nascentes, das margens e da vegetação que foi degradada no local.

— Pode ser um problema maior, mas também pode ser uma insurgência por conta de períodos chuvosos, como um simples alagamento. Mas para não ficar dúvida, resolvemos pedir o estudo em cima daquela mancha — salienta Alves.

No levantamento que compõe a defesa administrativa da empresa, que fez com que a Fatma cancelasse o embargo da obra feito em novembro, o local aparece sem nenhuma anormalidade: não há nascente, nem outro fato ambiental que pudesse impedir o empreendimento, aponta o laudo. Neste estudo ambiental, o geólogo contratado pela empresa realizou perfurações em 100 pontos do terreno. Embora não tenha apontado nada, o local com lama gerou suspeitas. 

A nova perfuração deve ser realizada ainda hoje. Como se trata de um trabalho rápido, o resultado deve estar pronto até sexta-feira, junto com o posicionamento da Fatma sobre a obra. a.

Fonte: Diário Catarinense

0 comentários:

Postar um comentário

Eco & Ação

Postagens populares

Parceiros