Colaboradores

Tecnologia do Blogger.

Siga-nos por Email

Seguidores

Arquivo do blog

Pesquisar neste blog

terça-feira, 14 de janeiro de 2014

Laudos da Fatma viram pivô de disputa entre shoppings

Trâmite de documentos da Fundação do Meio Ambiente de Santa Catarina (Fatma) é questionado e aquece polêmica em Criciúma


O que era uma disputa comercial entre dois grandes grupos catarinenses pelo mercado de shoppings do Sul do Estado se transformou numa guerra de bastidores e denúncias. Três documentos da Fundação do Meio Ambiente de Santa Catarina (Fatma), com diferença de 23 dias entre eles, estão no centro do tiroteio.

Presidente da Fatma diz que órgão não sofreu influência ao devolver denúncia ambiental para o município

O primeiro, assinado pelo gerente de Desenvolvimento da Fatma em Criciúma, Alexandre Guimarães, pede à Fundação do Meio Ambiente de Criciúma (Famcri) que suspenda a Licença Ambiental Prévia e se abstenha de emitir a Licença Ambiental de Instalação ao empreendimento Parque Shopping Criciúma.

Ele leva em conta embargo anterior feito pela Fatma, vistoria in loco dos técnicos e imagens aéreas as quais indicam a presença de nascentes e cursos de água no local onde seria erguido o empreendimento. Nele, Guimarães afirma que solicitará participação de geólogo e geógrafa para o caso.


O segundo documento, assinado 19 dias depois pelo analista técnico da Fatma em gestão ambiental Ramon Meller Citadin sugere o cancelamento do embargo. Alega "inúmeras atividades dos técnicos da fundação bem como o número reduzido destes servidores" para dispensar o empreendimento da análise de geólogo e geógrafo. Quatro dias depois, a medida é encaminhada num terceiro documento assinado por Guimarães.

"Repassei o caso a instâncias superiores", diz gerente da Fatma em Criciúma

Esses documentos têm como pano de fundo a guerra entre dois grandes empreendedores que disputam um mercado regional de cerca de 800 mil consumidores e que tem como polo principal a cidade de Criciúma, sul de SC.
    
Um dos grupos pertence ao empresário Jaimes Almeida, da construtora Almeida Jr, que tem shoppings em outras cidades catarinenses. O outro tem à frente o Grupo Angeloni, conhecido como a maior rede de supermercados de SC e que se associou ao Partage, de São Paulo, para erguer o Parque Shopping Criciúma.

O Angeloni obteve o primeiro aval para o empreendimento em dezembro de 2012 com o alvará de licença para construir o shopping dado pela prefeitura. Em outubro de 2013 obteve a Licença Ambiental Prévia da Fundação do Meio Ambiente de Criciúma (Famcri) e no último dia 13 de dezembro obteve a autorização para iniciar as obras.

No dia 8 de janeiro, o Shopping das Nações da Almeida Júnior foi proibido pela Famcri de começar as obras do empreendimento e notificado a apresentar laudo geológico da área em 30 dias. Um dia antes, em 7 de janeiro, o grupo Almeida Júnior havia anunciado a construção de um shopping em Porto Alegre.

Governador está ciente do caso

O mais novo round dessa batalha  já chegou ao gabinete do governador Raimundo Colombo, que pediu apuração imediata pelo presidente da Fatma, Gean Loureiro. O governador teria telefonado para Gean no meio da semana passada e solicitado prioridade máxima na apuração.

Procurado ontem pelo DC, o presidente da Fatma, Gean Loureiro, disse que mandou uma equipe de Florianópolis composta por dois engenheiros sanitaristas e um geógrafo na sexta-feira ao local do empreendimento, em Criciúma. 

Gean afirma que a defesa administrativa do empreendedor feita por geólogo é que embasou a decisão de levantar o embargo e repassar a competência para a Famcri. Gean atribui a polêmica à visão do empresário Jaimes Almeida, pois não vê motivo para controvérsias.

A equipe de Florianópolis, segundo Gean, não detectou nascente no local da obra ou outra irregularidade que pudesse gerar novo embargo. Até amanhã, a Fatma ainda fará um documento conclusivo a respeito por um geólogo. A Fatma disse que o prazo poderá ser maior se o geólogo precisar de mais trabalho em cima da análise.

Fonte: Diário Catarinense

0 comentários:

Postar um comentário

Eco & Ação

Postagens populares

Parceiros