Tecnologia do Blogger.

Siga-nos por Email

Seguidores

Arquivo do blog

Pesquisar neste blog

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Como é um velório e funeral mórmon?

Os membros da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (conhecidos como mórmons) acreditam que esta vida é parte de uma existência eterna. Nesta perspectiva, eles entendem que a mortalidade é um estágio no Grande Plano de Felicidade.
Devido a Queda de Adão e Eva, a morte física foi introduzida no mundo. Assim, todos morrerão – o que significa que o corpo e o espírito  (que formam a alma do homem [1]) irão se separar: “o pó [voltará] à terra, como o era, e o espírito [voltará] a Deus, que o deu” (Eclesiastes 12:7). O espírito, de todas as pessoas (boas e más) irá para o Mundo dos Espíritos ou Mundo Espiritual – até a ocasião da Ressurreição [2].

A doutrina que mencionei brevemente pode ajudar a entender o motivo e a forma de nossos funerais. Todavia os funerais mórmons não são muito diferentes dos funerais das diversas culturas e religiões judaico-cristãs no mundo. Na realidade, tirando os princípios gerais que descreverei abaixo, os funerais Mórmons podem variar e agregar costumes e tradições dependendo da nação e do povo em que a Igreja está inserida,  exceto quando destoarem das doutrinas do Evangelho.

Quando alguém morre em nosso meio, reunimos-nos com entes queridos e amigos, dizemos algumas palavras sobre a pessoa que partiu e cantamos hinos que nos consolam ao nos lembrar da realidade da Ressurreição.

Dois Apóstolos faleceram recentemente – e o serviço funerário foi transmitido pela internet. Lá há um bom exemplo sobre como realizamos funerais. Clique aqui para assistir.

O MANUAL DE INSTRUÇÕES DA IGREJA RECOMENDAM:
“Os líderes e membros da Igreja devem procurar fazer com que as cerimônias realizadas por ocasião do falecimento de uma pessoa sejam respeitosas e solenes e proporcionem uma experiência espiritual a todos os participantes. Essas cerimônias geralmente são realizadas sob a direção do bispo.” [3]

O Manual também preceitua: “Os membros da Igreja devem demonstrar respeito aos rituais e às práticas de outras religiões. Contudo, são aconselhados a não participar de rituais, práticas ou tradições que comprometam sua capacidade de guardar os mandamentos ou de viver os princípios do evangelho restaurado. A maioria dos governos tem exigências legais regulamentando o que deve ser feito quando uma pessoa morre. Os líderes e membros da Igreja devem estar cientes dessas exigências e segui-las.” [4]

Quando um membro da Igreja falece o bispo visita a família para consolá-la e oferece ajuda. O falecimento é notificado aos membros da congregação. “O bispo também notifica a presidente da Sociedade de Socorro [líder das mulheres da congregação] para que ela e outras irmãs possam dar assistência à família. Essa assistência pode incluir: vestir o corpo para o enterro (no caso de falecimento de mulher), providenciar flores, cuidar das crianças pequenas, tomar conta da casa durante o funeral e preparar refeições.” [5]

Nos países em que há velório, como é costume no nosso, pode haver uma oração da família, caso se deseje.

Quando o velório e o funeral é realizado na capela (e nunca se cobra nada por este serviço [6]) – o bispo dirige a reunião – pois se trata de uma reunião da Igreja. “Deve ser uma ocasião espiritual além de uma reunião da família. O bispo deve pedir aos membros que mantenham a reverência, o respeito e a atmosfera solene no funeral e nas reuniões relacionadas a esse serviço.” [7]

As diretrizes do Manual ainda consideram os desejos da família do falecido. Porém, o bispo deve garantir que “o funeral seja simples e respeitoso, com música e breves discursos e mensagens centralizados no evangelho, que falem do consolo que vem da Expiação e Ressurreição do Salvador. Os membros da família não devem sentir-se obrigados a discursar nem a ter algum outro papel ativo no serviço.” [8]

Normalmente os funerais não ultrapassam uma hora de duração.

A Igreja incentiva que os seus membros falecidos sejam sepultados. Mas nem sempre isso é possível ou recomendado – por exemplo, exigências legais de alguns países só permitem a cremação. O motivo de preferirmos o sepultamento é mais simbólico do que dogmático: os Patriarcas antigos e o Próprio Senhor Jesus Cristo foram sepultados. O suputamento também permite a realização de uma Ordenança do Sacerdócio onde se dedica a sepultura.

Há mais um detalhe relevante sobre os funerais mórmons: os membros da Igreja que tenham passado pelo Templo – e feito convênios lá, se possível, são enterrados com roupas brancas usadas no Templo. Não existe nenhum misticismo quanto a essas  “roupas mortuárias”. Mas trata-se deu um sinal de respeito e consagração, o qual esperamos ser reconhecido por Deus.

Onde for possível, os membros falecidos que receberam a investidura devem ser sepultados com a roupa do templo. Nos lugares em que as tradições ou os costumes relacionados ao funeral tornem essa prática inadequada ou difícil de ser realizada, as roupas podem ser dobradas e colocadas no caixão ao lado do corpo.

Para finalizar deve-se acrescentar que o bispo pode ceder a capela da Igreja para o funeral de uma pessoa que não seja membro. A cerimônia geralmente pode ser realizada da maneira prescrita pela igreja da pessoa falecida. Já vi isso acontecer. No entanto, os rituais de outras igrejas ou organizações não podem ser realizados em uma capela da Igreja, caso atentem contra os princípios do evangelho. “Se a família desejar, o funeral pode ser dirigido por um ministro da igreja a que a pessoa pertencia, desde que esse serviço seja respeitoso e adequado.” [9]

____________

NOTAS

[1] Na Teologia mórmon, embora “alma” às vezes seja usada nas escrituras como sinônimo de “espírito”, seu verdeiro e mais amplo significado é ensinado em D&C 88:15: “E o espírito e o corpo são a alma do homem.”

[2] Para compreender melhor a doutrina da via após a morte clique aqui

[3] Manual de Instruções da Igreja, Item 18.6

[4] Idem a nota anterior

[5] Manual de Instruções da Igreja, Item 18.6.2

[6]  “Os membros da Igreja que dirigirem um funeral ou participarem dele não podem aceitar honorários nem contribuições por esse serviço, quer o funeral seja de um membro ou de um não membro. Em alguns casos, o bispo pode pedir a uma empresa funerária que providencie um enterro digno a preço de custo, quando for pago com recursos do fundo de oferta de jejum da Igreja.” (Manual 2, “Normas financeiras”, Item 18.6.7)

[7] Idem a nota 5.

[8] Manual de Instruções da Igreja, Item 18.6.4

[9] Manual de Instruções da Igreja, Item 18.6.8
(Visited 2.504 times, 4 visits today)

Fonte: MormonSud

Eco & Ação

Ecologia

Loading...

Postagens populares

Parceiros