Tecnologia do Blogger.

Siga-nos por Email

Seguidores

Arquivo do blog

Pesquisar neste blog

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Toneladas de agrotóxicos ilegais são apreendidas

Cerca de 11,6 toneladas de agrotóxicos ilegais foram apreendidas nos últimos dois meses em uma ação realizada pelo Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) com o auxílio da Receita Federal, Polícia Federal e pela Polícia Rodoviária Federal.
Contrabandeadas do Paraguai, a apreensão ocorreu no estado de Mato Grosso do Sul. Tratam-se de inseticidas e herbicidas sem classificação de nível toxicológico e do grau de periculosidade ambiental, e suspeita-se de que seriam usados em plantações de soja e algodão, nos Estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.

“Se para agrotóxicos legalizados já existe o risco de desenvolvimento de doenças graves tanto para o trabalhador rural, que tem contato direto com a substância, como também para o consumidor final, e por isso se faz necessário o rígido controle das autoridades para seu uso, se tratando de substâncias ilegais, como essas que foram apreendidas, a situação é ainda mais perigosa”, diz o Biólogo Giuseppe Puorto, membro do CRBio-01 – Conselho Regional de Biologia – 1ª Região (SP, MT e MS).

Mas, ao invés de diminuir o uso dessas substâncias, no país vem ocorrendo justamente o contrário. Segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), o Brasil é o maior consumidor mundial de agrotóxicos. E de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), entre 2000 e 2012, dobrou o uso de agrotóxicos no país. “É urgente mudar esse panorama, reduzindo o uso dessas substâncias progressivamente e, principalmente, intensificar ainda mais a vigilância e o combate às substâncias ilegais”, alerta o biólogo.

Abaixo, confira algumas dicas de como higienizar os alimentos em casa para consumi-los com maior segurança:

– No caso de vegetais como alface, escarola e agrião, por exemplo, lave folha por folha, criteriosamente;

– Para vegetais como pimentão, abobrinha e maçã, por exemplo, lave a casca preferencialmente com a ajuda de uma bucha usada apenas para esse fim;

– Coloque os alimentos de molho em água clorada (tem um produto à base de hipoclorito de sódio, à venda em supermercados), por até 30 minutos; Após esse tempo, volte a lavar os alimentos em água corrente para eliminar resíduos flutuantes;

– Se não for consumi-los imediatamente, seque os alimentos, coloque em sacos plásticos apropriados e os guarde na geladeira.

Fonte: Enolverde

Eco & Ação

Ecologia

Loading...

Postagens populares

Parceiros