Colaboradores

Tecnologia do Blogger.

Siga-nos por Email

Seguidores

Arquivo do blog

Pesquisar neste blog

terça-feira, 4 de junho de 2013

Alimentos contaminados

A humanidade acumula hoje um enorme arcabouço científico, que a permite dispensar os agrotóxicos e garantir a continuidade da produção em muitas culturas.
Problema mesmo são as contaminações. Vejam:

Tragédia é o que acontece no campo, morte da natureza, mortes por contaminação, intoxicações dos consumidores com resíduos de agrotóxicos.

O que estamos comendo?

Segundo o relatório da ANVISA de 2011, as análises feitas em 2010 mostraram que “No balanço geral, as 2.488 amostras coletadas pelo Para, 28% estavam insatisfatórias…”

Isso é a média nacional. Em certas lavouras, o uso de agrotóxicos é alarmante: na cultura do tomate, a média é de dezenas de quilos por hectare em cada safra. Muitos desses agrotóxicos são comprovadamente

cancerígenos. Ninguém duvida disso, nem mesmo os fabricantes.

Alguns cientistas trazem argumentos errados contra a agricultura orgânica, informando o público que amorte por contaminações bacterianas pode ser maior com agricultura orgânica. Quanto às práticashigiênicas, todos estão sujeitos a elas, principalmente após Pasteur quando aprendemos o que sãobactérias. Todos os produtores de alimentos – não importam de que tipos – devem testar e monitorar suaprodução quanto a possíveis contaminantes. Ou ainda temos a ilusão de que todo o amendoim vendido noBrasil é isento de aflatoxina cancerígena?

Precisamos de investimentos maciços em biotecnologia, para controle de insetos e fungos com adubação efixação biológica, cultivos consorciados, rotações de cultura, melhoramento genético com fatores deresistência, diminuindo a possibilidade de resistência por parte dos patógenos, entre outras. Osresultados destas pesquisas são mais acessíveis e a custo menor. Não estou falando aqui de organismosgeneticamente modificados.

Vamos focar com isenção o que realmente importa: a preservação da vida, o aumento da qualidade da vida eda saúde, e análise científica independente.

Fonte: Mercado Ético

0 comentários:

Postar um comentário

Eco & Ação

Postagens populares

Parceiros