Colaboradores

Tecnologia do Blogger.

Siga-nos por Email

Seguidores

Arquivo do blog

Pesquisar neste blog

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Governo federal pode levar internet a comunidades isoladas usando balões

O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) lançou nesta quinta-feira (14), em Cachoeira Paulista, no interior de São Paulo, um projeto para levar internet a comunidades isoladas usando balões. O teste do protótipo, que pode ser levado a áreas como a Amazônia e Pantanal, foi acompanhado pelos ministros de Ciência e Tecnologia, Marco Antônio Raupp, e de Comunicações, Paulo Bernardo. O projeto pode ser incluído no Plano Nacional de Banda Larga do governo federal.


Denominado Conectar, a ação atualmente consiste em um balão com um sistema de comunicação que é içado até 240 metros de altura. O balão, que pesa cerca de 15 quilos, carrega quatro rádios que recebem e transmitem o sinal de internet.

A ideia dos pesquisadores é levar o equipamento para comunidades distantes dos centros urbanos e possibilitar o acesso à internet banda larga aos moradores dessas regiões, já que o sinal do balão é propagado em um raio de até 50 quilômetros e oferece um custo menor do que a construção de torres e não causa danos ambientais.

No teste desta quinta-feira, os desenvolvedores do projeto lançaram um balão na sede do Inpe em Cachoeira Paulista e fizeram comunicação por vídeo com outras duas pessoas que usavam o sinal gerado pelo equipamento em um posições distintas, mas a cerca de 25 quilômetros do balão.

O ministro Paulo Bernardo fez o contato com os pesquisadores por vídeo e após o teste disse que considera o projeto uma boa alternativa. “Tem regiões onde é praticamente impossível chegar com antenas convencionais e transmitir o sinal. Para determinadas regiões é uma saída que eu acho que vai ser muito útil, muito importante de usar e fazer o provimento (de internet)”, disse ao G1.

Já o ministro de Ciência e Tecnologia, Marco Antonio Raupp, disse que o experimento mostrou que o projeto é possível, mas ainda precisa ser aperfeiçoado. “Queremos introduzir tecnologia nacional, produtos desenvolvidos por empresas nacionais. (O protótipo) Tem que, evidentemente, ser aperfeiçoado para estar em condições de operar normalmente. A viabilidade precisa ser estudada. Os desenvolvedores têm agora que demonstrar a viabilidade, hoje mostraram que é possível e o desenvolvimento é para isso, mostrar que é possível”, afirmou.

Contratos temporários – Um grupo de servidores do Inpe aproveitou o evento para cobrar o ministro Raupp sobre o Termo de Ajustamento de Conduta que deve ser firmado pelo instituto e o Ministério Público (MP) para a regularização dos servidores temporários no instituto. Eles cobraram o ministro pela demora na assinatura do TAC. O diretor do Inpe, Leonel Perondi, disse que o documento está sendo negociado com o MP. “Estamos dentro do prazo e devemos ter autorização para abrir o concurso em janeiro. O TAC não é para suspender os contratos temporários é para regularizar. As vagas saem em paralelo”, disse.

Em setembro, a Justiça declarou nulos 111 contratos temporários de servidores do Inpe. A ação contestou as contratações, a maioria delas em 2009, que ocorreram em caráter emergencial e, em outubro, a Justiça deu um novo prazo para a assinatura de TAC para que o Inpe se comprometa com a regularização dos servidores temporários no instituto. No documento deve ser estipulado o prazo para a realização de um concurso público. 

Fonte: G1

0 comentários:

Postar um comentário

Eco & Ação

Postagens populares

Parceiros