Colaboradores

Tecnologia do Blogger.

Siga-nos por Email

Seguidores

Arquivo do blog

Pesquisar neste blog

quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Saneamento básico é negado a um terço da população mundial, diz ONU

Cerca de um terço da população mundial, o equivalente a 2,5 bilhões de pessoas, não tem acesso a serviços de saneamento adequados e 1,1 bilhão de pessoas ainda são obrigadas a fazer suas necessidades básicas ao ar livre, advertiu nesta terça-feira a ONU por conta do Dia Mundial dos Banheiros.

“Temos que acabar com os tabus e fazer do saneamento para todos uma das principais prioridades da agenda de desenvolvimento mundial”, disse hoje o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, em sua primeira mensagem para comemorar este dia.

Além disso, Ban advertiu que 800 mil crianças menores de 5 anos morrem a cada ano de diarreia, “mais de uma por minuto”. “O saneamento é um tema central para a saúde humana e para o meio ambiente. É essencial para o desenvolvimento sustentável”, afirmou o secretário-geral, que pediu sua inclusão na agenda de desenvolvimento que está sendo negociada para 2015.

O Dia Mundial dos Banheiros é comemorado desde 2001 por parte de organizações internacionais e da sociedade civil, mas até bem pouco tempo não tinha sido reconhecido oficialmente pelas Nações Unidas.

A Assembleia geral aprovou em 27 de julho deste ano uma resolução que marca o dia 19 de novembro como o Dia Mundial dos Banheiros. Essa é uma nova tentativa de conscientizar sobre a importância do acesso a serviços básicos de saneamento.

A ONU calcula em cerca de US$ 260 bilhões anuais as perdas econômicas que provocam as más condições sanitárias e a falta de água potável nos países em desenvolvimento.

Na América Latina, estima-se que mais de 100 mil pessoas vivam sem saneamento adequado e sem um lugar para usar o banheiro. Por conta disso fazem suas necessidades em campos, florestas e outros espaços abertos, ou recorrem a sacolas de plástico que depois jogam nas estradas ou em rios.

“O saneamento fornecerá dignidade, igualdade, segurança e, em última instância, acesso aos correspondentes direitos humanos”, lembrou a ONU Água, um mecanismo interinstitucional com o qual colaboram 28 agências e membros das Nações Unidas.

A melhora do acesso ao saneamento básico é um dos oito Objetivos do Milênio que menos avançou. Para 2015 é proposta a meta de se reduzir pela metade a porcentagem de pessoas que carecem de acesso sustentável a água potável e a serviços básicos de saneamento.

“Temos que redobrar com urgência nossos esforços e trabalhar todos juntos, lado a lado, para obter resultados tangíveis rapidamente”, acrescentou Ban, que pediu um “diálogo aberto” para melhorar a saúde e o bem-estar de um terço da humanidade.

Fonte: Terra

0 comentários:

Postar um comentário

Eco & Ação

Postagens populares

Parceiros