Tecnologia do Blogger.

Siga-nos por Email

Seguidores

Arquivo do blog

Pesquisar neste blog

terça-feira, 16 de maio de 2017

Prefeitura autoriza hora extra para sepultamentos


Secretário de Obras negociou auxílio de ajudantes gerais para realizar enterros nos cemitérios da Saudade e do Parque Gramado
O secretário de Obras e Serviços Urbanos de Americana, Adriano Neves, informou nesta segunda-feira que a prefeitura passará a pagar hora extra para servidores que atuarem nos cemitérios da Saudade e do Parque Gramado, além da rodoviária.

O anúncio vem após a pasta ter recebido reclamações dos administradores dos espaços com relação à falta de mão de obra para atender a população e fazer sepultamentos, devido a implantação do sistema de banco de horas.

LEIA TAMBÉM: Procurado pela Justiça é preso pela Gama

A informação foi divulgada na câmara por Neves, durante oitiva da CEI (Comissão Especial de Inquérito), que investiga a suposta cobrança de propina, por parte da atual administração, de funcionários terceirizados e empreiteiros.

Foto: Mariana Ceccon / O Liberal
 
Adriano Neves negou qualquer irregularidade durante oitiva na CEI
O responsável pela pasta admitiu que nos últimos dias os cemitérios tiveram problemas com falta de servidores após afastamentos e pedidos de férias. Para minimizar os impactos, ele sugeriu ao prefeito Omar Najar (PMDB) que fossem abertas exceções ao banco de horas.

LEIA TAMBÉM: Homem furta tênis, tenta se 'esconder' em lanchonete e vai preso

A partir deste final de semana e próximos feriados o Cemitério do Parque Gramado terá dois ajudantes gerais, destacados da Garagem. No Cemitério da Saudade os nove servidores que já fazem sepultamento farão parte de uma escala que irá remunerar os trabalhos feitos após as 16 horas, em dia de semana e durante os sábados e domingos. Na rodoviária, quatro funcionários farão a limpeza do banheiro, varrição e recolhimento do lixo aos finais de semana em regime especial.

Na última quarta-feira, O LIBERAL mostrou que por conta da falta de servidores, a administração do Cemitério do Parque Gramado estava solicitando que funcionários administrativos, agentes funerários, voluntários e até familiares ajudassem a descer os caixões durante os enterros.

“Não é obrigado por lei a manter banco de horas. Mas se você for pensar na Secretaria de Obras, o que é essencial? São os cemitérios. Não tem como proibir a família de enterrar. É uma hora delicada. Então eu expliquei a situação para o prefeito e ele liberou”, comentou Neves.

Ele ainda acrescentou que pretende contratar mais coveiros, no entanto “a situação financeira da prefeitura não permite a abertura de novas vagas”.

Propina

Sobre o caso de cobrança de dinheiro em espécie de terceirizados, o secretário disse que aguardará o depoimento de Marisa Alves, administradora do Cemitério do Parque Gramado, para tomar as providências necessárias. Ele admitiu que não checou notas fiscais com a comissionada, mas alegou confiar no trabalho dela. Neves ainda acrescentou que aguarda provas de que Marisa tenha extorquido empreiteiros.

O presidente da comissão, Thiago Brochi (PSDB) disse que o secretário “pouco ajudou”. “Era uma pessoa que poderia ter contribuído muito mais com as investigações, mas não foi isso que vimos. Vamos aguardar a defesa da Marisa”. A administradora irá a câmara no próximo dia 12.

Secretário diz que fotos são se situações forjadas
Nesta segunda-feira, a CEI do Parque Gramado voltou a receber denúncias de participação de voluntários nos serviços de sepultamento. Na semana passada, o presidente da comissão já havia divulgado para a imprensa imagens de dois homens, moradores do bairro, que ajudavam a assentar lajes e preparar massa de cimento.

Nesta segunda, duas novas imagens foram encaminhadas ao vereador Thiago Brochi e mostram dois coveiros sendo auxiliados por um homem, identificado como um servente voluntário. Usando apenas chinelos, ele ajuda a manusear uma laje, perto de uma cova. Na imagem seguinte ele está dentro da mesma cova, descendo o objeto. Somente coveiros têm permissão de entrar nos túmulos.

Diante das fotografias Neves afirmou que as situações foram forjadas. “Não há familiares, nem caixão e nem os encarregados em volta. Nunca vi sepultamento sem família”, alegou. Ele também garante que conversou com servidores e apurou que os voluntários não foram convocados para trabalhar.

“Eu quero acreditar que isso é pura retaliação. Fico com o pé atrás com estas denúncias porque tudo isso começou quando implantamos regras para os prestadores de serviço e exigimos o cumprimento dos contratos de trabalho dos servidores”, pontuou o secretário da pasta.

Neves ainda acrescentou que pretende fechar as entradas do cemitério para evitar acesso ilimitado ao local e quer que o nome dos denunciantes conste na investigação da CEI, para que a prefeitura consiga apurar em que condições as fotografias foram feitas.

Fonte: Jornal Liberal

Eco & Ação

Ecologia

Loading...

Postagens populares

Parceiros