Tecnologia do Blogger.

Siga-nos por Email

Seguidores

Arquivo do blog

Pesquisar neste blog

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

"Sexta-feira 13" lota os cemitérios de oferendas em Cuiabá

Chega a primeira das duas únicas sextas-feiras 13 de 2017. A segunda e última será em outubro. O encontro do dia 13 com a sexta-feira é repleto de lendas e crendices que mexem com os nervos dos supersticiosos. Muitos acreditam que a data pode trazer má sorte ou infortúnio.

Tanto que a indústria do cinema lançou épicos do terror que tem na data pano de fundo para atuação de assassinos em séries.

Deixando o terror de lado, muitas designações religiosas, confrarias ou mesmo adeptos de cultos afro-descendentes aproveitam a data para oferendas e rituais.

Por isso a administração dos maiores cemitérios de Cuiabá já espera um grande público durante o dia, como ocorrem todos os anos. Segundo Sales Lourenço, gerente administrativo da empresa Cuiabana, responsável pela segurança nos cemitérios da Piedade, do Porto e Coxipó da Ponte, os portões estarão abertos para receber as oferendas entre 7h e 11h e entre às 13h e 17h desta sexta-feira.

Já existe um acordo prévio com os adeptos, para que não deixem lixo no local. Normalmente os materiais são colocados nos cruzeiros centrais de cada cemitério. No mais antigo deles, da Piedade, com mais de 13 mil sepultados, também existe um túmulo específico, que recebe grande volume de doações.

Sales explica que são garrafas de pinga, pipoca, pão, frutas e, algumas vezes, galinhas mortas. Mas os sacrifícios de animais são mais raros atualmente. Lembra, no entanto, que em anos anteriores, quando atuava como funcionário da prefeitura neste mesmo trabalho, já se deparou com bodes deixados em sacrifício, do lado de fora do cemitério.

O material só é retirado na manhã seguinte, pela equipe de limpeza e descartado no lixo. Mas destaca que normalmente, moradores de rua do entorno dos cemitérios chegam antes do pessoal da limpeza, para recolher a comida e a bebida alcoólica para consumo.

O reforço da segurança no entorno dos cemitérios, com instalação de cercas elétricas, concertinas e câmeras de vigilância, afastou o público noturno, que muitas vezes depredava o local durante a realização de rituais. Hoje isto não acontece mais, garante o administrador.

Origem

Poucos sabem dizer qual é a verdadeira origem da “Sexta-feira 13”. De fato, as possibilidades de explicação para esta crença se encontram difundidas em diferentes culturas espalhadas ao redor do mundo. Uma das mais conhecidas justificativas dessa maldição conta que Jesus Cristo foi perseguido por esta data. Antes de ser crucificado em uma sexta-feira, o salvador das religiões cristãs celebrou uma ceia que, ao todo, contava com 13 participantes.

Outra explicação sobre essa data remonta à consolidação do poder monárquico na França, especificamente quando o rei Felipe IV sentia-se ameaçado pelo poder e influência exercidos pela Igreja dentro de seu país. Para contornar a situação, tentou se filiar à prestigiada ordem religiosa dos Cavaleiros Templários, que, por sua vez, recusou a entrada do monarca na corporação. Enfurecido, segundo relatos, teria ordenado a perseguição dos templários na sexta-feira, 13 de outubro de 1307.

De acordo com outra história, a maldição da sexta-feira 13 tem a ver com o processo de cristianização dos povos bárbaros que invadiram a Europa no início do período medieval. Antes de se converterem à fé cristã, os escandinavos eram politeístas e tinham grande estima por Friga, deusa do amor e da beleza. Com o processo de conversão, passaram a amaldiçoá-la como uma bruxa que, toda sexta-feira, se reunia com onze feiticeiras e o demônio para rogar pragas contra a humanidade.

Reforçando essa mesma crendice, outra história de origem nórdica fala sobre um grande banquete onde o deus Odin realizou a reunião de outras doze importantes divindades. Ofendido por não ter sido convidado para o evento, Loki, o deus da discórdia e do fogo, foi à reunião e promoveu uma enorme confusão que resultou na morte de Balder, uma das mais belas divindades conhecidas. Com isso, criou-se o mito de que um encontro com treze pessoas sempre termina mal.

Apesar de tantos infortúnios associados a essa data, muitos a interpretam com um significado completamente oposto ao que foi aqui explicado. De acordo com os princípios da numerologia, o treze por meio da somatória de seus dígitos é um numeral próximo ao quatro, compreendido como um forte indício de boa sorte. Além disso, indianos, estadunidenses e mexicanos associam o número treze à felicidade e ao futuro próspero.

Fonte: Folha Max

Eco & Ação

Ecologia

Loading...

Postagens populares

Parceiros