Colaboradores

Tecnologia do Blogger.

Siga-nos por Email

Seguidores

Arquivo do blog

Pesquisar neste blog

sexta-feira, 21 de junho de 2013

Preços de hotéis terão aumento de até 376,4% na Copa

Segundo dados preliminares apresentados nesta quarta (12) pelo Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur), as tarifas hoteleiras nas cidades-sede estarão até 376,4% mais caras para a Copa do Mundo Fifa 2014, em comparação aos preços cobrados normalmente.
Crédito: Memória Futebol

A Embratur passou a monitorar os preços depois da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20, em junho do ano passado, quando foi verificado um aumento nas diárias dos hotéis. De acordo com o levantamento feito pelo instituto com dados divulgados no site da Fifa, a diária do hotel Golden Tulip Brasília Alvorada, no Distrito Federal, custará US$ 639 na Copa do Mundo. Normalmente, as diárias no mesmo hotel, e para o mesmo tipo de quarto, custam US$ 134. No Rio de Janeiro e em Fortaleza os aumentos chegam a 366%.

De acordo com o presidente da Embratur Flávio Dino, as diárias anunciadas pela Fifa causaram "profundo desagrado, estranheza e preocupação", pois os números que foram divulgados comprometem o crescimento da sustentabilidade do turismo no Brasil. A medida tomada pela instituição será enviar um registro dos principais aumentos de preços durante os megaeventos para a Secretaria de Defesa do Consumidor do Ministério da Justiça.

“Este aumento não consegue encontrar explicação em nenhuma projeção de inflação, carga tributária ou o chamado Custo Brasil”, diz Dino. “Por isso, todos os casos considerados abusivos serão encaminhados à Secretaria de Defesa do Consumidor do Ministério da Justiça”, diz.

Ministro ameaça fechar hotéis

Depois da publicação destes dados, o ministro do Esporte Aldo Rebelo, anunciou, nesta quinta-feira (13), “tolerância zero” para abusos de preços nas diárias dos hotéis. Em entrevista ao programa Bom dia, Ministro, Rebelo disse que o governo poderá acionar a Polícia Federal, além dos órgãos de fiscalização dos estados e municípios, pois “aqueles que pensam que podem abusar dos consumidores precisam saber que a mão pesada do poder público vai agir e pode até ter hotel fechado por causa disso”, diz.

Rebelo alertou ainda que “na última vez em que [os hotéis] tentaram fazer isso, tiveram que devolver dinheiro às pessoas que pagaram preços abusivos na Rio+20, no Rio de Janeiro”. Ele acrescentou que o governo não vai aceitar que a rede hoteleira aproveite os eventos esportivos para superfaturar os preços. “Isso vai prejudicar o país e a cidade onde for praticado esse abuso, que perderá eventos e destinos turísticos”, diz.

Com informações de DCI

Fonte: Uol - Consumidor Moderno

0 comentários:

Postar um comentário

Eco & Ação

Postagens populares

Parceiros