Tecnologia do Blogger.

Siga-nos por Email

Seguidores

Arquivo do blog

Pesquisar neste blog

quarta-feira, 3 de maio de 2017

Cemitério Parque das Flores é reformado e ganha fonte d'água

Localizado no Sancho, bairro da Zona Oeste do Recife, Parque das Flores recebe uma média de 4.500 visitantes por mês


Jardim do Parque das Flores tem projeto paisagístico de Roberto Burle Marx (1909-1994)


O Cemitério Parque das Flores, no Sancho, Zona Oeste do Recife, está de novo visual. Numa obra iniciada em outubro de 2016 e prevista para terminar segunda-feira próxima (30/01), a necrópole teve os jardins recuperados, ganhou uma fonte d’água no lago e passou a oferecer oito espaços para velórios, dois a mais do que havia.

“Fizemos uma série de intervenções para levar mais conforto às famílias que acompanham o velório e o enterro de parentes”, declara o diretor administrativo da Empresa de Manutenção e Limpeza Urbana (Emlurb), Adriano Freitas. Construído numa área de 125 mil metros quadrados, o Parque das Flores recebe, em média, 4.500 visitantes por mês.

A praça na entrada principal do cemitério, com projeto paisagístico de Roberto Burle Marx (1909-1994), ficou mais verde depois da recuperação da grama e do plantio de mudas de árvores e de palmeiras, diz Adriano Freitas. “Trocamos o piso de pedra do passeio da praça por blocos intertravados de concreto, é melhor para o pedestre e a manutenção é mais fácil.”

De acordo com Adriano Freitas, os velórios, localizados defronte da praça, foram ampliados. Até então, o cemitério oferecia seis salas, sendo quatro grandes e duas pequenas. Com a reforma, o Parque das Flores fica com sete velórios grandes, todos com nova coberta, e mais outro espaço com a mesma finalidade nas dependências da capela ecumênica. “Agora temos velório na igreja do Parque das Flores e do Cemitério de Santo Amaro (área central da cidade)”, diz ele.

Referência na arquitetura moderna do Recife, a capela projetada em 1974 – aquele prédio em forma de pirâmide dentro do lago – foi climatizada e recuperada. Logo atrás do imóvel, a Emlurb instalou a fonte d’água. O Cemitério Parque das Flores é administrado pelo município desde 1977. “Uma obra desse porte não era realizada no local há pelo menos 20 anos”, afirma Adriano Freitas.

INFRAESTRUTURA

O serviço também contemplou a colocação de bancos na praça, ornamentação dos jardins dos velórios, substituição da madeira e das telhas da sala da administração da necrópole, reforma dos banheiros, melhoria da iluminação, pintura e implantação de rampas de acessibilidade, enumera. “Primeiro, recuperamos a estrutura para melhorar as condições de trabalho dos funcionários.”

A obra custou R$ 650 mil, com recursos da Emlurb. “Falta apenas finalizar a instalação das luminárias dos banheiros para encerrar o trabalho”, diz Adriano Freitas. 

No Parque das Flores estão enterrados dois pernambucanos que foram presos e torturados durante o regime militar no Brasil (1964-1984): Gregório Bezerra (1900-1983) e Luiz José da Cunha (1931-1971).

Fonte: JC Online

Eco & Ação

Ecologia

Loading...

Postagens populares

Parceiros