Tecnologia do Blogger.

Siga-nos por Email

Seguidores

Arquivo do blog

Pesquisar neste blog

terça-feira, 13 de dezembro de 2016

Japão quer transformar roupas velhas em combustível para aviões

De acordo com as empresas, cem toneladas de algodão produzem até dez quilolitros de combustível.


A Japan Airlines está trabalhando em uma alternativa totalmente inusitada para reduzir o impacto ambiental da aviação. A companhia aérea japonesa, junto com empresas ambientais e varejistas, pretende abastecer os aviões a jato com roupas velhas no lugar dos combustíveis tradicionais.

Conforme informado pela imprensa japonesa, a companhia se juntará a dois institutos de pesquisas ambientais no projeto, que deve começar no início de 2017, para ser colocado em prática em 2020. Através da parceria com os varejistas, a empresa aérea pretende coletar roupas usada em mais de mil lojas em todo o país.

A tecnologia deste biocombustível totalmente alternativo é usar o poliéster e o algodão das roupas, para fabricar combustível para as aeronaves. A tecnologia que transforma este material em combustível foi desenvolvida pelo Green Earth Institute. O processo envolve a utilização de microrganismos para processar os açúcares contidos no algodão, transformando-os em um tipo de álcool, usado na queima dos motores.

A Jeplan, uma das parceiras no projeto, está trabalhando na construção de uma fábrica, que será destinada à produção deste biocombustível. Inicialmente, o plano mesclar o combustível alternativo com os tradicionais para estudar o desempenho.

De acordo com as empresas, cem toneladas de algodão produzem até dez quilolitros de combustível. Esta é o principal limitante da proposta, já que, mesmo se todo o algodão do Japão fosse transformado em biocombustível, seria possível abastecer apenas 1% do consumo de jatos no país.

A Japan Airlines ainda estuda outras estratégias para reduzir as emissões de seus voos, como o uso de resíduos orgânicos na fabricação de combustível. Todas as estratégias são pensadas para diminuir também a dependência do petróleo.

Fonte: Ciclo Vivo

Eco & Ação

Ecologia

Loading...

Postagens populares

Parceiros